Dorin, o empreiteiro agrícola que veio da Roménia

Dorin, o empreiteiro agrícola que veio da Roménia

Apesar de ter vivido numa quinta sem casa de banho, Dorin Matei sentiu-se bem acolhido em Portugal. Fixou-se com a família em Mêda. Agora, que tem uma empresa de prestação de serviços agrícolas, emprega indianos

Usam um boné com o nome de Dorin Matei e o seu número de telemóvel estampados. Os irmãos romenos poucas palavras sabem em inglês e alguns dos seus trabalhadores indianos também. E é com essas poucas palavras e muitos gestos que se entendem.

Dorin está com o irmão, Ion, e um funcionário indiano, Saju, a colocar uma vedação num olival de Mêda, entre o Alto Douro e o Planalto Beirão. José, o trabalhador português, viu o dia carrancudo e deixou-se estar em casa. Bi, outro indiano, fora a Lisboa, ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Outros três indianos obtiveram autorização de residência e foram à Índia casar-se.

No princípio, Dorin nem percebeu. “Marriagemarriage”, diziam-lhe os rapazes. Só quando um deles apontou para o dedo anelar ele entendeu. “Ah! Vai casar!” Foram prometidos pelos pais e têm de respeitar o compromisso. “Ou vão ou têm problemas grandes.” Ion brinca com Saju. “Arranja uma portuguesa!”

Os rapazes chegaram-lhe a Mêda por regularizar. Só um ainda não tem autorização de residência. “Ele foi chamado ao SEF porque trabalha para mim com contrato. Viram que ele tinha uma empresa aberta. Aparecem lá dívidas à segurança social, às Finanças, que sei! Tem de pagar.” Ion interrompe-o: “Diz que abriram uma empresa fantasma em nome dele.”

A vaga de Leste

Na viragem do século, houve uma primeira vaga migratória que fez chegar às despovoadas terras

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior “Tenho de pagar quanto?”, perguntou um trabalhador que Rodrigo queria contratar
Próximo Município de Oleiros reforça combate à vespa-das-galhas-do-castanheiro

Artigos relacionados

Últimas

Governo abre candidaturas para 540 direitos de acesso ao prémio à vaca aleitante

 A portaria assinada por João Ponte fixa as regras de atribuição dos direitos disponíveis na reserva regional.

De acordo com nota do executivo, […]

Últimas

Granizo destrói culturas em Mogadouro. “Até metia medo, pareciam bolas de pingue-pongue”

Granizo causou grandes prejuízos na agricultura. Ministério da Agricultura está a avaliar estragos.

Uma forte trovoada acompanhada de chuva e granizo provocou estragos em vários pontos do concelho de Mogadouro, […]

Nacional

Pagamentos do IFAP a 29 de Dezembro de 2017

No dia 29 de dezembro de 2017 o IFAP procedeu a pagamentos* num montante total de cerca de 441,1 milhões de euros