Dina Ferreira é nova gestora do Mar 2020. Teresa Almeida vai para Lisboa

Dina Ferreira é nova gestora do Mar 2020. Teresa Almeida vai para Lisboa

Dina Ferreira é a nova gestora do programa Operacional Mar 2020. A escolha resulta da opção do Executivo de colocar a atual gestora, Teresa Almeida, à frente do Programa Operacional regional de Lisboa.

“Esta recente nomeação no Mar 2020 resulta da saída da anterior titular do cargo (Teresa Almeida), que é agora responsável pelo PO Lisboa”, disse ao ECO fonte oficial do Ministério do Planeamento. “A nomeação de Teresa Almeida para o PO Lisboa resulta exclusivamente do fim do mandato do anterior responsável“, acrescenta a mesma fonte.

O gestor do Lisboa 2020, cargo que é ocupado por inerência pelo presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) de Lisboa e Vale do Tejo, não foi reconduzido no cargo. O Expresso avançou, em maio, que João Teixeira saiu em rutura com o Governo. “Sinto-me confortável em sair, porque deixo de estar sujeito ao dever de lealdade. Agora poderei exprimir publicamente as minhas opiniões, várias vezes contrárias ao que se perspetiva e se está a delinear agora”, referiu o responsável, que tinha sido nomeado pelo anterior Governo de Pedro Passos Coelho.

Na altura, o Ministério justificou a decisão pelo facto de haver “novos desafios que se vão colocar nos próximos cinco anos e que requerem um novo perfil à frente da CCDR Lisboa”.

Os cerca de 800 milhões de euros do programa Lisboa 2020 passam agora a ser geridos por Teresa Almeida, que deixa o Mar 2020, com uma taxa de execução de 32,7% no final de junho, como revelou a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, durante uma audição regimental na Assembleia da República no início de julho. Este valor é superior à média europeia, sublinhou a ministra, revelando ainda que foram “liquidados 153,6 milhões de euros aos beneficiários finais” e que a taxa de compromisso do total do programa é de 70,9%, o que equivale a 337,9 milhões de euros. A ministra disse também que o “investimento elegível total alavancado por estas candidaturas é de 446,1 milhões de euros”.

A saída de Teresa Almeida para o PO regional abriu uma vaga no Mar 2020 que foi ocupada por Dina Ferreira, vogal da comissão diretiva da estrutura de gestão do Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbana (IFRRU) 2020. A sua nomeação foi publicada em Diário da República esta terça-feira. Dina Ferreira também exerceu o cargo de vogal na Agência da Coesão e no Instituto Financeiro para o Desenvolvimento Regional. Uma carreira que leva o Ministério do Planeamento a justificar a escolha com a “larga experiência na gestão de fundos” que a nova responsável tem.

Dina Ferreira foi substituída esta quinta-feira por Henrique Daniel Dias Pinto Ferreira no cargo que ocupava na gestão do IFFRU, tal como publicado em Diário da República.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em ECO - fundos comunitários .

Anterior El FEGA recibe en 2019 menos número de solicitudes de la PAC pero la superficie declarada aumenta
Próximo Incêndios: Fogo em Nisa dominado em 90 por cento

Artigos relacionados

Últimas

André Silva: “Em cinco milhões de votos nas últimas legislativas, cerca de 500 mil não serviram para eleger ninguém”

André Silva do PAN diz que uma coligação com o António Costa está fora de causa, mas, mediante o poder de influência, […]

Nacional

A luta da Monsanto para defender o glifosato

[Fonte: Público]
A empresa Monsanto tem feito vários esforços para conseguir ver prolongado o uso da substância que está na base do seu famoso herbicida Roundup: o glifosato – que tem vindo a ser associado em vários estudos a possíveis efeitos cancerígenos. […]

Nacional

Margarida Pocinho refere importância de fundos da UE para investimento em proteção contra incêndios

[Fonte: O Jornal Económico]

A candidata do CDS-PP Madeira às eleições europeias, Margarida Pocinho, visitou, na passada quinta-feira, […]