BREXIT – exportação/importação vegetais e produtos vegetais –  Informação

BREXIT – exportação/importação vegetais e produtos vegetais – Informação

[Fonte: DGAV]

Enviamos para vosso conhecimento a informação, hoje recebida das autoridades inglesas, referente às condições de exportação de vegetais e produtos vegetais para o Reino Unido, na situação de não existência de acordo. De realçar que os produtos vegetais que atualmente circulam no território da UE sem exigências fitossanitárias particulares (sem exigência de passaporte fitossanitário), poderão continuar a ser exportadas sem necessidade de Certificado Fitossanitário. Os vegetais e produtos vegetais que circulam no território da União com Passaporte Fitossanitário deverão ser sujeitos a inspeção fitossanitária para emissão dos respetivos Certificados Fitossanitários.

Igualmente, e numa situação de não acordo, o Reino Unido, a partir das 00:00h de 30 de março próximo passará a ser considerado País Terceiro (anexamos apresentação realizada pela DG SANTE no passado dia 28/2), passando a estar sujeitas às mesmas restrições e ou proibições e a controlo fitossanitário todos os vegetais e produtos vegetais importados do Reino Unido e que atualmente são aplicadas a países terceiros.

→Consulte o guia fitossanitário à importação aqui←

Alertamos que as exigências incluem também a obrigatoriedade de todas as embalagens de madeira (paletes, caixas, etc.) terem que estar devidamente tratadas e marcadas de acordo com a norma ISPM15.

No que respeita as sementes e batata semente, todas as variedades inscritas nos Catálogos Comuns de Variedades de Espécies Agrícolas e Hortícolas cuja seleção de manutenção esteja apenas a ser assegurada no Reino Unido e ou a sua inscrição tenha sido concretizada apenas pelo Reino Unido, serão retiradas destes catálogos não podendo as suas sementes/batata semente serem importadas para o território da União Europeia. O mesmo se passará com o restante material de propagação (videira, fruteiras). No caso das plantas ornamentais apenas será permitida a comercialização de variedades que estejam incluídas pelo menos numa lista de fornecedores de um Estado membro.

DGAV procura interessados em ensaios de valor agronómico de variedades

Nota de esclarecimento da DGAV sobre a Xylella fastidiosa

Comente este artigo
Anterior ANPROMIS e ANPC - Estragos Javalis
Próximo [GPPQ | H2020]: Bioeconomia, Biotecnologia e BBI (Março 2019)

Artigos relacionados

Sugeridas

Agrofood Portuguese Cluster: uma novidade e uma incógnita -Editorial Teresa Silveira + Suplemento Agrovida

Revelamos hoje, aqui, em primeira mão que o pólo de competitividade Portugal Foods, os clusters InovCluster e AgroCluster e a associação Portugal Fresh avançaram com um projeto comum junto do IAPMEI para a constituição de um novo projeto de reorganização associativa das empresas do setor agroindustrial português. […]

Sugeridas

Eucalipto só dominava num dos sete grandes incêndios de Outubro

[Fonte: Público]
Relatório dos peritos mostra que, para a propagação do fogo, mais importante do que a espécie é se há acumulação de matos ou não.

Dos sete grandes incêndios de Outubro de 2017, em apenas um o eucalipto era a espécie dominante. […]

Comunicados

“¡Estamos hartos de su Política Agrícola! Queremos un cambio justo y sostenible en la PAC”

Viena – 25 de septiembre de 2018 – La Coordinadora Europea Vía Campesina y su miembro Austriaco ÖBV – Vía Campesina Austria (Österreichische Berg- und Kleinbäuer_innen Vereinigung), se han movilizado hoy para pedir cambios urgentes en las políticas alimentarias y agrícolas de la UE ante el Schloss Hof, […]