BREXIT – exportação/importação vegetais e produtos vegetais –  Informação

BREXIT – exportação/importação vegetais e produtos vegetais – Informação

[Fonte: DGAV]

Enviamos para vosso conhecimento a informação, hoje recebida das autoridades inglesas, referente às condições de exportação de vegetais e produtos vegetais para o Reino Unido, na situação de não existência de acordo. De realçar que os produtos vegetais que atualmente circulam no território da UE sem exigências fitossanitárias particulares (sem exigência de passaporte fitossanitário), poderão continuar a ser exportadas sem necessidade de Certificado Fitossanitário. Os vegetais e produtos vegetais que circulam no território da União com Passaporte Fitossanitário deverão ser sujeitos a inspeção fitossanitária para emissão dos respetivos Certificados Fitossanitários.

Igualmente, e numa situação de não acordo, o Reino Unido, a partir das 00:00h de 30 de março próximo passará a ser considerado País Terceiro (anexamos apresentação realizada pela DG SANTE no passado dia 28/2), passando a estar sujeitas às mesmas restrições e ou proibições e a controlo fitossanitário todos os vegetais e produtos vegetais importados do Reino Unido e que atualmente são aplicadas a países terceiros.

→Consulte o guia fitossanitário à importação aqui←

Alertamos que as exigências incluem também a obrigatoriedade de todas as embalagens de madeira (paletes, caixas, etc.) terem que estar devidamente tratadas e marcadas de acordo com a norma ISPM15.

No que respeita as sementes e batata semente, todas as variedades inscritas nos Catálogos Comuns de Variedades de Espécies Agrícolas e Hortícolas cuja seleção de manutenção esteja apenas a ser assegurada no Reino Unido e ou a sua inscrição tenha sido concretizada apenas pelo Reino Unido, serão retiradas destes catálogos não podendo as suas sementes/batata semente serem importadas para o território da União Europeia. O mesmo se passará com o restante material de propagação (videira, fruteiras). No caso das plantas ornamentais apenas será permitida a comercialização de variedades que estejam incluídas pelo menos numa lista de fornecedores de um Estado membro.

DGAV procura interessados em ensaios de valor agronómico de variedades

Nota de esclarecimento da DGAV sobre a Xylella fastidiosa

Comente este artigo
Anterior ANPROMIS e ANPC - Estragos Javalis
Próximo [GPPQ | H2020]: Bioeconomia, Biotecnologia e BBI (Março 2019)

About author

Artigos relacionados

Comunicados

CEi celebra 4 anos com mais de 80 empresas incubadas em Castelo Branco

O CEi – Centro de Empresas Inovadoras de Castelo Branco celebra, esta sexta-feira, dia 28 de julho o seu 4º Aniversário com um dia repleto de atividades: Open Day, Palestras, Prémios e Networking.
Através desta inciaitiva O CEi – Centro de Empresas Inovadoras de Castelo Branco pretende demonstrar que após 4 anos de existência, […]

Últimas

Nova segmentação de mercado da maçã proposta em estudo do Freshness

[Fonte: Gazeta Rural]

A maçã é o principal fruto consumido em Portugal e na Europa. A conveniência de consumo, a facilidade de preparação e o preço acessível fazem da maçã uma fruta compatível com os estilos de vida e hábitos de consumo modernos. […]

Noticias PAC pos 2020

Simplification de la Pac La commission agriculture du Parlement européen adopte le règlement « Omnibus »

Le règlement Omnibus voté par la commission agriculture du Parlement européen envisage d’assouplir les critères imposés pour les outils de gestion des risques, au premier rang desquels figure l’assurance récolte. 
La Commission agriculture du Parlement européen a adopté, ce mercredi 3 mai, […]