Nota de esclarecimento da DGAV sobre a Xylella fastidiosa

Nota de esclarecimento da DGAV sobre a Xylella fastidiosa

[Fonte: ffl revista]

A Direcção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), autoridade fitossanitária nacional, publicou a 30 de Janeiro uma nota de esclarecimento relativamente à detecção da bactéria Xylella fastidiosa em Gaia, em plantas de lavanda localizadas no jardim do Zoo de Santo Inácio. A este propósito, a nota esclarece que:

1 – A bactéria Xylella fastidiosa, à semelhança de outros agentes patogénicos que afetam as plantas, não constitui nenhum risco para pessoas e animais.

2 – Devido aos potenciais efeitos desta bactéria em culturas muito importantes para a nossa agricultura e paisagem rural, estão a ser tomadas medidas oficiais de destruição das plantas na zona infectada, controlo dos insectos vectores e prospecção da área circundante;

3 – A bactéria dispersa-se a curta de distância através de insectos e a longas distâncias pelo transporte de plantas contaminadas;

4 – A Xylella fastidiosa é um agente patogénico que afecta um grande número de espécies vegetais, podendo conduzir ao enfraquecimento, redução de produção e mesmo morte das plantas infectadas;

5 – Os serviços do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, designadamente a DGAV e a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte, reconhecem e agradecem toda a colaboração que tem sido prestada pelos responsáveis do Zoo de Santo Inácio, que tem permitido uma rápida actuação dos serviços fitossanitários;

6 – A identificação desta bactéria no local não constitui motivo que justifique o cancelamento de visitas ao Zoo.

Alguns dias antes, a DGAV tinha publicado outro anúncio relativamente a esta bactéria, indicando que «foi já accionado o Plano de Contingência Nacional, que estabelece o conjunto de procedimentos destinados a garantir uma rápida e eficaz resposta em caso de deteção da Xylella fastidiosa em Portugal». Assim, de acordo com o Plano, «num raio de 100 metros a partir da planta infectada (Zona Infectada) foram já destruídas mais de 200 plantas susceptíveis de hospedar a bactéria e estão já em curso as operações de prospecção num raio de 5 Km a partir do foco de detecção da bactéria (Zona Tampão)».

Notícias relacionadas

Comente este artigo

O artigo Nota de esclarecimento da DGAV sobre a Xylella fastidiosa foi publicado originalmente em ffl revista

Anterior Espaço Visual lança curso sobre a cultura da Nogueira
Próximo Alterações Climáticas e Viticultura trazem especialistas europeus à UTAD

Artigos relacionados

Nacional

“Lavoura açoriana está a afundar-se”, diz Jorge Rita

[Fonte: Correio dos Açores]
O Presidente da Federação Agrícola dos Açores afirma que se preço do leite não aumentar e governo não conceder 45 euros por vaca a lavoura açoriana afunda-se
O Presidente da Federação Agrícola dos Açores, Jorge Rita, afirmou ontem ao ‘Correio dos Açores’ que, […]

Nacional

Região de Aveiro avança com projetos e obras para defesa do Baixo Vouga Lagunar


O Conselho Intermunicipal da Região de Aveiro adjudicou a elaboração do projeto do “Sistema Primário de Defesa do Baixo Vouga Lagunar” e apresentou a candidatura da obra a fundos comunitários, anunciou hoje a Comunidade Intermunicipal (CIRA).
Na sua reunião ordinária mensal, aquele órgão intermunicipal deliberou adjudicar a prestação de serviços para a “Elaboração do à […]

Comunicados

Considerações do workshop “Gestão no Agroalimentar”

Plano de Desenvolvimento do Setor Agroalimentar do Baixo Tâmega – Food Cluster Revolution
Foi no passado dia 11 de novembro, pelas 10h, em Celorico de Basto, que aconteceu a segunda sessão de trabalho, destinada a criar mais dinâmica no sector agroalimentar da região, no âmbito da estratégia da Associação Empresarial de Amarante. […]