Desmembramento da Direcção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV)

Desmembramento da Direcção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV)

Em consequência de uma mediatização e politização dos factos ocorridos no incêndio de Stº Tirso, Governo resolve desmembrar uma Instituição centenária como a DGAV, que tanto tem feito pelo Bem Estar e Sanidade Animal e pela Saúde Pública em Portugal.

Associação dos Agricultores do Distrito de Portalegre escreve ao Presidente da República, Primeiro Ministro e Ministra da Agricultura revelando a sua preocupação pelo atentado a que está a ser alvo a Direcção Geral de Alimentação e Veterinária e consequentemente o Ministério da Agricultura.


A Associação dos Agricultores do Distrito de Portalegre vê com bastante preocupação as diligências recentemente levadas a cabo pelo governo, tendo por alvo a Direcção Geral de Alimentação e Veterinária.

A medida de desmembramento de uma Direcção Geral que ao longo de anos e anos tem administrado com sucesso a área da alimentação, bem-estar e sanidade animal e consequente saúde pública, parece-nos inoportuna e geradora de nefastas consequências futuras.

O espartilhar de uma Instituição centenária, que foi adquirindo know How e experiência ao longo do seu longo percurso, em consequência da mediatização e politização de factos que deverão ser resolvidos, tecnicamente, dentro das instituições de que dependem, irá prejudicar o mundo agrícola não dignificando Portugal.

Como organização de agricultores, temos verificado que nos últimos anos a DGAV se tem vindo a debater com inúmeros problemas, sendo o mais significativo a perda progressiva de meios humanos, sem que exista a sua substituição. Tal situação tem sido atenuada pela grande dedicação dos seus funcionários.

A área referente à gestão dos animais domésticos deveria ficar na alçada da DGAV, devido à formação e conhecimento dos funcionários que constituem o organismo. Não vemos que faça algum sentido ser o Ministério do Ambiente, com colaboradores formados noutras áreas, a assumir tal competência. Se a ideia for reforçar este último ministério com pessoal especializado, coloca-se, então, a questão do porquê de não se reforçar os meios da DGAV e esta continuar a fazer o que sempre tem feito?

Em conclusão e tendo em atenção o atrás referido, a Associação dos Agricultores do Distrito de Portalegre vem perante V. Exa. solicitar que se faça uma reflexão sobre este assunto e que se ouçam as organizações do sector.

Com os melhores cumprimentos

A Presidente da Direcção

(Fermelinda de Jesus Pombo Carvalho)

Comente este artigo
Anterior Produtores de queijo já têm aplicação para ajudar nas decisões de investimento
Próximo Cotações – Suínos – Informação Semanal – 20 a 26 Julho 2020

Artigos relacionados

Últimas

Feira do Ambiente “Anadia + Verde” sensibiliza para a necessidade de alterar comportamentos

A 4ª Feira do Ambiente “Anadia + Verde” vai
ter lugar, nos próximos dias 7 e 8 de junho, […]

Últimas

Oferta de emprego – Horticultural engineer

The Danish agricultural company, GreenPeas A/S is looking for a horticultural/agricultural engineer to take care of the production of fresh hand-picked peas in Portugal. […]

Nacional

Investigadores de Portugal e Espanha inventam novo sistema experimental para estudos de impacto ambiental

Seis investigadores do Centro de Ecologia Funcional (CFE) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), do Instituto de Ciencias Marinas de Andalucía (ICMAN-CSIC, […]