Deputados querem conceito de “pagamento justo” à produção de leite através do PT 2030

Deputados querem conceito de “pagamento justo” à produção de leite através do PT 2030

Os deputados do Grupo de Trabalho do Setor Leiteiro defendem que, no contexto do Portugal 2030, é necessário desenvolver um conceito de “pagamento justo” à produção, indexando-o aos sistemas de financiamento à indústria e à distribuição.

Esta é uma das oito medidas inseridas na proposta de intervenção presente no relatório do Grupo de Trabalho do Setor Leiteiro, a que a Lusa teve acesso, que vai ser votado no parlamento.

Em causa, está o facto de os produtores de leite portugueses terem recebido menos 421,5 milhões de euros do que a média dos países da União Europeia (UE), entre 2010 e 2018.

Por ano, os produtores portugueses receberam assim menos 61,5 milhões de euros do que a média dos restantes operadores da União Europeia.

Na proposta do grupo de trabalho inclui-se ainda a coordenação de uma campanha de informação “que alerte para os benefícios do consumo do leite” e derivados, a clarificação da distinção entre o produto leite e outras bebidas, uma ação junto da distribuição, “assegurando uma correta informação ao consumidor, para os produtos lácteos”, bem como a promoção de mecanismos facilitadores da livre concorrência do longo de toda a cadeia de valor.

“Face à tendência de crescimento para o consumo de bebidas ditas alternativas ao leite, todo o elemento da cadeia de valor não deve descurar esta realidade, devendo por isso mesmo, procurar desenvolver e articular estratégias que procurem incentivar o consumo de leite, nas suas mais diversas formas”, lê-se no documento.

Adicionalmente, é também proposto o desenvolvimento de ações com “objetivos claros e imediatos” para o aumento da produtividade e desenvolvimento de produtos inovadores, “procurando envolver os ‘clusters’ agroalimentares e agroindustriais existentes”.

Entre as principais conclusões do grupo de trabalho encontra-se a defesa de que o leite é um “produto que reúne características nutricionais únicas, não sendo conhecido qualquer outro produto que o possa substituir”.

As bebidas “ditas ‘substitutas’ do leite são formulações com extratos de leguminosas, sementes oleaginosas, cereais ou pseudocereais diluídos em água e que apresentam um aspeto que tenta, na sua aparência, assemelhar-se ao leite da vaca. Nutricionalmente, as bebidas vegetais e o leite de vaca não são comparáveis ou equivalentes”, salienta o documento.

Já relativamente à cadeia de valor, o grupo conclui que as dificuldades comerciais que o setor atravessa devem-se, sobretudo, à diferença entre o preço do leite pago aos produtores portugueses e à média europeia, à concentração do mercado e à permanência do leite “sempre ou quase sempre” em promoção.

Os deputados apontam que o preço ao consumidor apresenta, “aparentemente”, valores inferiores ao do custo e ainda a “utilização indevida” da designação leite por produtos de origem vegetal, “apresentados ao consumidor sob a designação de ‘lete/leche/lait/milk’”.

O Grupo de Trabalho do Setor Leiteiro foi criado em 2017, com a aprovação do PSD, PS, BE, PCP e PAN, sendo que o PEV esteve ausente da reunião em que ocorreu a votação.

Para analisar a situação do setor do leite os deputados decidiram ouvir as principais entidades ligadas às áreas da produção, indústria, comércio, fiscalização, regulação, consumo e saúde, de que são exemplo a Associação dos Jovens Agricultores de Portugal (AJAP), a Lactogal, a Federação Agrícola dos Açores, a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), a Associação dos Produtores de Leite de Portugal (APROLEP), a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), a Autoridade da Concorrência (AdC) e a Autoridade para a Segurança Económica e Alimentar (ASAE).

Foram visitadas empresas do setor leiteiro, cooperativas e explorações agrícolas, entre outras.

O artigo foi publicado originalmente em Açoriano Oriental.

Comente este artigo
Anterior Prémio Floresta e Sustentabilidade - Entrega de prémios - 8 de Maio - Lisboa
Próximo IFCN beneficia de pastos do Perímetro Florestal do Poiso para dar mais alimento a ovinos

Artigos relacionados

Nacional

Cervejas da Super Bock Selecção 1927 e Coruja premiadas no World Beer Awards

As cervejas Super Bock Selecção 1927 e Coruja subiram ao pódio na edição de 2019 do World Beer Awards. […]

Dossiers

La tendencia a la baja se impone en los precios en origen del aceite

Esta semana en los precios en origen del aceite de oliva predominaron las bajadas. El sector está muy pendiente de las consecuencias que pueda ejercer la imposición de los aranceles sobre el mercado del aceite nacional, […]

Últimas

Produtores alentejanos entregaram mais de 500 candidaturas a programa para “a falta de água nas explorações”, avança Dir. Reg. da Agricultura (c/som)

[Fonte: Rádio Campanário] José Godinho Calado, diretor Regional de Agricultura e Pescas do Alentejo, esteve aos microfones da Campanário a falar sobre as atuais preocupações da entidade no que concerne à garantia de água para as culturas e abeberamento de animais, […]