Cuidado com os cardans!

Cuidado com os cardans!

O Dylan Fulton vive na cidade Hearne, Texas, USA. Há 3 dias sofreu um acidente com o cardan do trator: “A minha camisa foi apanhada pela tomada de força do trator e levou-me com ela. Para além de um braço torcido e de muitos cortes e queimaduras no meu corpo, estou bem. Se o Gregg Fulton (pai) não tivesse estado lá para me agarrar quando me atirou para o outro lado, provavelmente não estaria aqui. Rasgou cada ponto de roupa do meu corpo. O pai tem umas costelas partidas mas pelo menos ainda tem um filho”.

A sua publicação tornou-se viral, no bom sentido, para alertar a todos os que trabalham com tratores, seja diariamente, seja meia dúzia de vezes por ano, para terem cuidado, porque estes acidentes partem-nos todos, arrancam cabelos e muitas vezes custam-nos a vida. Três regras básicas: 1) se a proteção do cardan partir, comprar nova; manter a proteção fixa, com as respetivas correntes; 3) Usar roupa justa e manter-se afastado do cardan em movimento. Sigam as regras de segurança e partilhem a mensagem!

O artigo foi publicado originalmente em Carlos Neves Agricultor.

Comente este artigo
Anterior Novos apoios à agricultura nos Açores recebem candidaturas no valor de 1,6 ME
Próximo A barragem de Santa Clara e o Aproveitamento Hidroagrícola do Mira

Artigos relacionados

Últimas

Smurfit Kappa lança alternativa sustentável para produtores de bananas

A Smurfit Kappa, empresa de soluções de embalagem de papel e cartão canelado, aumentou a sua gama de produtos sustentáveis e biodegradáveis para o sector agrícola com o lançamento de BanaBag® […]

Nacional

Restaurante Il Mercato começa a produzir pizzas biológicas e DOP com massa-mãe

Tanka Sapkota, chef especializado em gastronomia italiana responsável pela cozinha do Il Mercato, em Lisboa, começou, recentemente, a trabalhar com Adolfo Henriques, […]

Sugeridas

Exportações portuguesas de cortiça subiram 50% em 10 anos para mil ME – estudo

As exportações portuguesas de cortiça subiram 50% na última década para mais de mil milhões de euros, sendo França o principal mercado, segundo um estudo da Associação Portuguesa de Cortiça (Apcor). […]