Novos apoios à agricultura nos Açores recebem candidaturas no valor de 1,6 ME

Novos apoios à agricultura nos Açores recebem candidaturas no valor de 1,6 ME

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas revelou hoje, na ilha Terceira, que os novos programas de apoio ao investimento no setor agrícola PROAGRI e i9AGRI receberam candidaturas no valor de 1,6 milhões de euros.

“Este é um indicador que revela, por um lado, a importância destes programas para os agricultores e, por outro, a apetência que existe nos agricultores açorianos em apostar na modernização e na capacitação futura das explorações por forma a melhorar a sua eficiência”, afirmou João Ponte.

Para o Secretário Regional, “a modernização e a inovação nas explorações agrícolas é o caminho certo, não só para aumentar a competitividade, mas também para responder aos desafios do presente e do futuro”.

João Ponte destacou que tanto o PROAGRI como o i9AGRI foram desenhados em estreita articulação a Federação Agrícola dos Açores e os demais parceiros do setor e surgem na fase final do atual Quadro Comunitário, que regista já taxas de compromisso e de execução elevadas, permitindo aos agricultores continuar a fazer pequenos investimentos nas explorações, recorrendo a verbas regionais.

O governante falava no âmbito da inauguração do reservatório de água dos Biscoitos, com capacidade para 512 metros cúbicos, um investimento concretizado pela IROA, S.A. que vai beneficiar 82 explorações agrícolas, numa área com 404 hectares.

Quanto às infraestruturas agrícolas, designadamente caminhos, abastecimento de água e eletrificação de explorações, João Ponte adiantou que na atual legislatura o Governo dos Açores vai investir na ilha Terceira 3,4 milhões de euros, o que corresponde a mais 80% do que aquilo foi investido na anterior legislatura.

Para o titular da pasta da Agricultura, este é um sinal inequívoco da aposta do Governo dos Açores em reforçar as infraestruturas agrícolas na ilha Terceira, contribuindo desta forma para melhorar as condições de trabalho dos agricultores, uma estratégia que tem que continuar a ser seguida porque, apesar do que já foi concretizado, ainda há muito por fazer neste domínio em toda a Região.

Comente este artigo
Anterior Macron rejeita acordo UE-Mercosul em nome da luta contra as alterações climáticas
Próximo Cuidado com os cardans!

Artigos relacionados

Sugeridas

Conclusões do I Congresso Luso-Brasileiro de Horticultura

O I Congresso Luso-Brasileiro de Horticultura (CLBHort2017) promoveu o encontro entre 250 cientistas e empresários focados na Inovação ao serviço dos negócios. […]

Nacional

Vasco Cordeiro participa no Comité das Regiões que analisa futuro da Política Agrícola Comum

O Presidente do Governo participa, quarta e quinta-feira, em Bruxelas, na reunião plenária do Comité das Regiões que, entre outros temas, […]

Internacional

EU-Canada CETA entry into force expected in June

Canada is expected to ratify the EU-Canada Economic and Trade Agreement (CETA) this month, meaning that the trade deal would provisionally enter into force in June. […]