Crédito Agrícola com resultado positivo de 112,5 milhões de euros em 2018

Crédito Agrícola com resultado positivo de 112,5 milhões de euros em 2018

A actividade consolidada do Grupo Crédito Agrícola gerou em 2018 um resultado líquido positivo (não auditado) de 112,5 milhões de euros, equivalente a uma rentabilidade dos fundos próprios (ROE) de 7,42%, lê-se num comunicado enviado às redacções.

O produto bancário recorrente do Grupo aumentou 37,3 milhões de euros (+8,3%) passando de 448,9 milhões de euros em 2017, para 486,2 milhões de euros em 2018, tendo os resultados de operações financeiras diminuído 78,3% de 113,3 milhões de euros para 24,6 milhões de euros.

A carteira de crédito (bruto) a clientes ascendeu a cerca de 10 mil milhões de euros, um crescimento de 5,6%, face a 2017, em contraciclo com o sistema bancário (-1,6%). «Este aumento é fruto da notável dinâmica comercial do Grupo Crédito Agrícola e demonstra a confiança que o Grupo tem vindo a merecer por parte da sua crescente base de clientes».

É de realçar o segmento de empresas, com um aumento de 8,8% do crédito bruto de 5,4 mil milhões de euros para 5,9 mil milhões de euros, o que resultou num reforço da quota de mercado para 8,4% neste segmento (+0,1 p.p. face a 2017) reflectindo o esforço que o Grupo tem vindo a empreender com vista ao reforço de relacionamento com este segmento, tão relevante para a economia portuguesa.

O crédito concedido ao sector agrícola e ao sector social, estratégicos para o Crédito Agrícola, aumentou respectivamente 14,2% e 1,3%, resultando numa quota de mercado de 35,2% e 14,6%, reforçando o posicionamento do Grupo Crédito Agrícola enquanto agente chave na dinamização da economia social e das regiões em que está presente.

Os recursos totais de clientes aumentaram em 1.011 milhões de euros, um crescimento de 6,8% face a 2017, com os depósitos de clientes a aumentarem de 12,6 mil milhões de euros para 13,9 mil milhões de euros (+10,4% face a 2017), o que compara com o aumento de 4,8% no mercado bancário nacional, evidenciando a confiança dos portugueses na solidez do Grupo Crédito Agrícola.

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas Legumes e Flores.

Comente este artigo
Anterior Em defesa da sustentabilidade ambiental na agricultura
Próximo Importe definitivo de las ayudas acopladas al ovino y caprino 2018

Artigos relacionados

Últimas

E eles a dar-lhe

Via Campo Aberto (não encontrei o original do texto da QUERCUS), encontrei este parágrafo notável a propósito da discussão pública do Plano […]

Últimas

RIAAC AGRI – Brochuras técnicas

A RIAAC-AGRI – Rede de impacto e adaptação às alterações climáticas nos setores agrícola , agroalimentar e florestal é apoiada pela Rede Rural […]

Últimas

Kaffa apresenta nova imagem e reforça capacidade produtiva em Portugal

A KAFFA, marca portuguesa de café encapsulado, inicia o segundo semestre de 2017 com uma nova imagem. Mais moderna e emotiva, […]