Cotações – Flores e Folhagens – 6 a 12 de setembro de 2021

Cotações – Flores e Folhagens – 6 a 12 de setembro de 2021

Alstroeméria – Na Região Norte, na área de mercado Entre Douro e Minho, as cotações mantiveram-se estáveis. A oferta foi suficiente para a procura média. Boa qualidade. Escoamento sem dificuldades.

Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta foi média e equilibrou a procura. Subida das cotações.

Arália – Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta foi média e foi suficiente para a procura. Cotações estáveis.

Cravo/Cravina – Na Região Norte, na área de mercado de produção Entre Douro e Minho, as cotações valorizaram devido ao aumento da procura. Procura média. O escoamento efetuou-se sem dificuldades.

Na Região Centro, na área de mercado Beira Litoral, a oferta foi muito fraca e a procura baixa. Cotações estáveis.

Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península Setúbal, a oferta foi baixa e a procura média. Subida da cotação mínima do cravo “Tipo Spray”.

Crisântemo – Na Região Centro, na área de mercado Beira Litoral, a oferta do crisântemo “Tipo Spray” foi média e está a aumentar devido a plantações novas. Procura média. Subida da cotação mínima. Melhor qualidade das plantas. Maior procura pela cor branca

Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta continuou baixa e a procura esteve média. Descida da cotação mínima e subida da mais frequente.

Espargo – Na Região Norte, na área de mercado de produção Entre Douro e Minho, a oferta foi suficiente para a procura média. Cotações estáveis.

Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta e a procura apresentaram-se médias. Cotações sem alterações.

Estrelícia – Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta tem aumentado e a cotação mínima e a mais frequente desceram. Procura média/baixa.

Eucaliptos – Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta foi média e a procura média/baixa. Cotações sem alterações.

Feto – Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta foi baixa e a procura também. Cotações sem alterações.

Gerbera – Na Região Norte, na área de mercado de produção Entre Douro e Minho, as cotações mantiveram-se estáveis. Oferta média e de boa qualidade. Procura média. Escoamento sem dificuldades.

Na Região Centro, na área de mercado Beira Litoral, a procura aumentou e as cotações valorizaram para a gerbera I e II. Oferta baixa. Flor utilizada para funerais e decorações eventos/igrejas (o que faz com que tenha sempre algum escoamento).

Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta foi média e a procura também. Subida da cotação mínima da gerbera “grande” .

Gipsofila – Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta foi média e equilibrou a procura. Subida acentuada da cotação máxima e da mais frequente

Gladíolo – Na Região Norte, na área de mercado Entre Douro e Minho, as cotações valorizaram devido à redução da oferta. Boa qualidade. Procura média. Escoamento sem dificuldades.

Na Região Centro, na área de mercado Beira Litoral, a oferta foi escassa e a procura baixa. Cotações estáveis.

Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta subiu ligeiramente e apresentou-se média. Procura baixa. Subida da cotação mais frequente.

Girassol – Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta e a procura foram baixas. As cotações não se alteraram.

Lilium – Na região Norte, na área de mercado Entre Douro e Minho, a oferta foi suficiente para a procura média. Cotações estáveis. Boa qualidade . Escoamento sem dificuldades.

Na Região Centro, na área de mercado Beira Litoral, a oferta foi ligeiramente fraca e muito inferior a um ano normal nesta época. Qualidade razoável. Subida das cotações do lilium “médio” e “grande”.

Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta foi baixa porque o produtor não investiu nesta flor. Procura média/baixa. Subida da cotação mínima e da máxima.

Limonium – Na Região Ribatejo Oeste, na área de mercado Península de Setúbal, a oferte e a procura foram baixas. Descida da cotação mínima e da mais frequente.

Rosa – Na Região Norte, na área de mercado Entre Douro e Minho, as cotações mantiveram-se estáveis. A oferta foi suficiente para a procura média. Boa qualidade. Concorrência de produto importado do Equador e Holanda.

Na Região Centro, na área de mercado Beira Litoral, a oferta foi média. Procura média/alta. Flor com maior procura no mercado. Presença de rosa do Equador para colmatar a falta de produto nacional. Cotações estáveis.

Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta foi média/baixa e a procura média. Subida das cotações mínimas e das mais frequentes da rosa de tamanho >60 cm e 40-60 cm.

Ruscus – Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta e a procura foram médias. Cotações estabilizadas.

Statice – Na Região Centro, na área de mercado Beira Litoral, a oferta continuou baixa porque arrancaram plantações em fim de campanha e plantaram outras. Procura baixa. Cotações estáveis.

Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta e a procura foram baixas. Cotações sem alterações.

→ Aceda aqui às cotações ←

Cotações – Flores e Folhagens – 30 de agosto a 5 de setembro de 2021

Comente este artigo
Anterior Cotações - Produtos Hortícolas - 6 a 12 de setembro 2021
Próximo Food production generates more than a third of manmade greenhouse gas emissions – a new framework tells how much comes from crops, countries and regions

Artigos relacionados

Nacional

Herdade Maria da Guarda começa a exportar azeite para EUA este mês

O azeite será vendido com a marca California Olive Ranch, mas a embalagem vai explicitar a proveniência. Portugal vai beneficiar com o […]

Últimas

Webinar: Boas Práticas na execução de podas em sobreiros e azinheiras – 26 de janeiro

Boas Práticas na execução de podas em sobreiros e azinheiras […]

Últimas

Agricultura de Precisão: Um caminho de evolução

Quando falamos da Indústria 4.0 referimo-nos a tecnologias digitais integradas, que permitem a digitalização dos processos de produção