Conheça Vinbot, o robô que promete revolucionar produção de vinhos na Europa

Conheça Vinbot, o robô que promete revolucionar produção de vinhos na Europa

[Fonte: Sputnik Brasil] Este é um robô autônomo que anda pelas vinhas e recolhe informações preciosas. Equipado com câmera, sensores e GPS, o Vinbot conta o número de cachos de uvas, analisa a vegetação, mapeia a área produtiva e pode ser a solução que faltava para otimizar a indústria de vinhos europeus.

Visualmente é um robô simples, mas a estrutura é formada por equipamentos de precisão. “Os principais componentes são uma câmera, que recolhe as imagens na altura dos cachos. Depois temos um laser, que serve para a navegação, para encontrar e desviar de obstáculos. Um segundo laser para recolher informação relativa à vegetação, para saber tamanho, estrutura, porque isso também é útil para o agricultor. E a antena GPS, para que toda essa informação tenha um posicionamento e consigamos construir mapas”, explica à Sputnik Brasil o pesquisador Gonçalo Victorino, aluno de doutorado em Engenharia Agrônoma do Instituto Superior de Agronomia (ISA) da Universidade de Lisboa.

Robô Vinbot

© SPUTNIK / CAROLINE RIBEIRO: Robô Vinbot

É no mês de agosto que as uvas começam a ficar prontas para serem colhidas nas vinhas pela Europa. A colheita é chamada de “vindima” e quando a época se aproxima os produtores de vinho precisam estimar a produção. Atualmente, um processo trabalhoso.

“Todas as empresas fazem esta previsão em formato manual. Indo à vinha, contando e pesando manualmente os cachos, para terem uma ideia de quanto é que vão produzir e, consequentemente, fazerem a gestão da empresa”, explica à Sputnik Brasil o professor Carlos Lopes, do ISA.

As estimativas são fundamentais para toda a indústria do vinho. “Se soubermos com antecedência a produção do ano, podemos preparar as vindimas, a estrutura da adega, podemos influenciar o preço da uva, estimar a necessidade ou não de jogar cachos fora, caso haja excesso”, explica o professor.

Como funciona? 

Com o Vinbot, o processo passa a ser automatizado e preciso. Carlos Lopes é o responsável pela equipe portuguesa integrante do projeto do Vinbot. O robô foi fabricado por uma empresa da Espanha, dentro de um consórcio europeu. O investimento total no projeto foi de cerca de 2 milhões euros (R$ 9 milhões), com 76% financiados pela União Europeia. O projeto começou em 2014 e terminou em 2016. Como não se chegou a uma versão comercial final, o ISA ficou encarregado de melhorar a performance do Vinbot.

“A estimativa baseia-se na análise das imagens. O robô passa, faz uma sequência fotográfica e depois, através de algoritmos, consegue detectar a área dos cachos que aparecem nas imagens. Depois, com base em modelos que nós desenvolvemos, ele transforma a área dos cachos em peso e é com isso que nós estimamos a produção. No entanto, ele só consegue estimar os cachos que vê, e a videira tem muitas folhas que não deixam ver muitos cachos. Por isso precisamos desenvolver modelos que permitam estimar os cachos que não são visíveis”, explica o professor.

É neste desafio que a equipe do ISA trabalha atualmente. “A plataforma está construída. Já temos todos os instrumentos. O que estamos desenvolvendo são todos os algoritmos, todos os processamentos que estão por trás da informação e isso demora um certo tempo. Existem outras tecnologias, como a de imagens aéreas, a que estima a quantidade de pólen no ar, mas estas são estimativas a níveis regionais e não para uma só vinha. É desta forma que o Vinbot se diferencia das restantes. É algo preciso, local, e que pode ser utilizado por um agricultor ou viticultor que queira otimizar o seu processo de vindimas. Existem desafios, mas é uma questão de dois ou três anos”, avalia o pesquisador Gonçalo Victorino.

Pesquisador Gonçalo Victorino ao lado do robô Vinbot

© SPUTNIK / CAROLINE RIBEIRO: Pesquisador Gonçalo Victorino ao lado do robô Vinbot

Com o fim do consórcio europeu a tutela do Vinbot ficou com uma empresa de Portugal, que será a responsável pela comercialização quando o produto estiver finalizado.

Comente este artigo
Anterior Oliveira do Bairro destruiu 90 ninhos de vespa asiática desde o início do ano
Próximo Fundo de Capital de Risco apoia projetos dinamizados por empresas inseridas no Cluster da Vinha e do Vinho

Artigos relacionados

Internacional

Commission to review rules for inspecting carcases

Five Finnish MEPs from different political backgrounds recentlyraised the issue in a written question to the European Commission.
They noted that Regulation (EC) No 854/2004 onofficial controls requires carcases of bovine animals over six months to

We now require all subscribers to register with us the first time they log into the site. […]

Internacional

Grippe aviaire. Stéphane Le Foll voit « le bout du tunnel »

On voit le bout de l’épidémie de grippe aviaire, selon le ministre de l’Agriculture. Mais Stéphane Le Foll veut maintenant que le dispositif d’alerte et de sécurité sanitaire évolue sur le terrain pour réduire la portée du prochain épisode.
« Je serai prudent, mais on va arriver au bout de cette épizootie. […]

Internacional

Télégonflage Sodijantes industrie Agriwin, le GPS met la pression !

Agriwin est couplé à un GPS et ajuste automatiquement la pression si le tracteur patine. (©Sodijantes industrie)
Sodijantes industrie a présenté Agriwin au Sima. Le système de télégonflage est capable d’adapter la pression des pneus en roulant, en fonction des besoins. […]