CNA na Reunião de Reunião de Alto Nível sobre Agricultura Familiar e Desenvolvimento Sustentável na CPLP

CNA na Reunião de Reunião de Alto Nível sobre Agricultura Familiar e Desenvolvimento Sustentável na CPLP

A CNA participou, nos dias 6 e 7 de Fevereiro, em Lisboa, com uma significativa delegação de Agricultores, na Reunião de Alto Nível sobre Agricultura Familiar e Desenvolvimento Sustentável na CPLP (Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa).

O evento, que decorreu no âmbito das actividades do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSAN) da CPLP e no seguimento da Reunião Extraordinária de Brasília (Junho, 2017), onde foram aprovadas as “Directrizes de Apoio e Promoção da Agricultura Familiar nos Estados membros da CPLP”, culminou com a assinatura, dia 7 de Fevereiro, da “Carta de Lisboa Pelo Fortalecimento da Agricultura Familiar”.

Na “Carta”, os seus subscritores “confirmam o compromisso de ampliar o reconhecimento das contribuições da agricultura familiar e das comunidades rurais como produtoras de alimentos saudáveis, promotoras de expressões culturais, sociais e de bens públicos que devem ser protegidos e promovidos mediante políticas públicas específicas, diferenciadas e apropriadas, atendendo às singularidades de cada território, nomeadamente as relacionadas com a insularidade”.

À CNA, organização que ao longo dos seus 40 anos de existência tem lutado em defesa da Agricultura Familiar em Portugal, coube fazer a intervenção final em nome do Mecanismo da Sociedade Civil e também assinar, pelo mesmo Mecanismo, a “Carta de Lisboa Pelo Fortalecimento da Agricultura Familiar”.

A CNA integra o Mecanismo para a Facilitação da Participação da Sociedade Civil no CONSAN-CPLP, através da Plataforma de Camponeses (que conta com organizações dos vários Estados-membros da CPLP).

Esta Reunião de Alto Nível sobre Agricultura Familiar e Desenvolvimento Sustentável na CPLP contou com a participação de representantes dos Ministérios da Agricultura dos Estados-membros da CPLP, bem como de convidados de vários países e organizações, como o Director-Geral da FAO, José Graziano da Silva, ou a Embaixadora da Bolívia junto da ONU, Nardi Suxo, que está a dirigir os trabalhos para o estabelecimento de uma “Declaração dos Direitos dos Camponeses” nas Nações Unidas.

Comente este artigo
Anterior Pedidos de Qualificação em Portugal vs Bruxelas
Próximo Marcelo defende “receita muito significativa” que novos impostos podem trazer

Artigos relacionados

Nacional

As três grandes contradições entre os relatórios sobre o SIRESP

[Fonte: Observador]

Os dois relatórios entregues ao Governo que abordam o desempenho SIRESP no fogo de Pedrógão Grande apresentam contradições entre si. As conclusões e pressupostos apresentados pela empresa SIRESP, SA — que gere o serviço — e a Autoridade Nacional da Proteção Civil, […]

Nacional

“Ou há água ou não há agricultura em Portugal!”

[Fonte: Voz do Campo]

Luis Vasconcellos e Souza

Fundada há 30 anos, a Agromais é um dos casos que devem ser dados como exemplo quando falamos do sucesso da agricultura nacional. Hoje representa qualquer coisa como 1300 associados e a sua área de influência há […]

Nacional

Portugal pode pescar 4760 toneladas de sardinha até ao final do ano

[Fonte: Agricultura e Mar]
Portugal e Espanha aguardam, em meados de Outubro, uma nova avaliação do estado do stock de sardinha pelo CIEM – Conselho Internacional para a Exploração do Mar, mas tendo “sido concluído por este organismo que a regra de exploração adoptada em 2013 não era precaucionária, […]