Certificação florestal deve ser “financiada directamente pela UE”

Certificação florestal deve ser “financiada directamente pela UE”

O secretário-geral do Programme of Endorsement for Forest Certification Schemes admite a ambição que “a sustentabilidade seja uma tendência e não seja mais um nicho”. E sublinha que a certificação florestal não é um “investimento de curto prazo”, antes “um investimento sustentável para o futuro das nossas florestas” – no qual a União Europeia pode desempenhar um papel fundamental.

Ben Gunneberg é um dos fundadores daquele que é hoje o maior sistema de certificação florestal do mundo – o PEFC (Programme of Endorsement for Forest Certification Schemes), assumindo actualmente as funções de CEO e secretário-geral da organização. No final de Setembro, participou no Encontro PEFC Portugal – Floresta e Sustentabilidade. Em entrevista exclusiva ao PÚBLICO, por e-mail, sublinha as vantagens económicas, ambientais e sociais da certificação florestal e lança um repto aos responsáveis políticos europeus: “Não podemos perder de vista as pessoas, os empregos e as zonas rurais que dependem das florestas” e o próximo Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027 da UE deve “financiar directamente” a certificação florestal.

Porque é que os proprietários florestais devem investir na certificação florestal? Além dos benefícios ambientais, há vantagens económicas e financeiras?

A certificação florestal é crucial, como forma de verificação e reconhecimento independente da gestão florestal sustentável. E oferece vantagens significativas do ponto de vista ambiental, uma vez que garante que as florestas podem manter-se como florestas e continuarem a absorver CO2 da atmosfera e a abrigarem mais de 80% das espécies terrestres. Por outro lado, a gestão florestal sustentável torna as florestas mais resistentes às mudanças climáticas e aos desastres naturais.

Em paralelo, há um ganho financeiro importante para os proprietários florestais, dado que a certificação florestal, ao criar confiança no consumidor, acrescenta valor às florestas. Muitas pessoas ainda se preocupam com o facto de a compra de produtos de madeira poder contribuir para a desflorestação, mas podem ter a certeza: se virem o rótulo PEFC num produto, o material à base de madeira provém de florestas geridas de forma sustentável. Graças a essa garantia, as pessoas procuram cada vez mais produtos de madeira, gerando uma procura adicional de produtos florestais e ganhos financeiros para os proprietários.

Pergunto-lhe pelas vantagens económicas e financeiras porque, em Portugal, é frequente ouvir os proprietários e as organizações reclamarem que a produção florestal não é rentável. Como conciliar os custos da certificação com os custos da produção e ser bem pago por isso?

Dada a importância vital, do ponto de vista ambiental, social e económico, das florestas, é fundamental que a produção florestal seja rentável. Se as florestas não forem rentáveis correm o risco de serem convertidas para usos alternativos, como a agricultura. É precisamente aqui que a certificação PEFC entra e pode ajudar. Graças ao rótulo PEFC em produtos de base florestal, como o papel, lenços de papel, móveis de madeira e até na moda, os proprietários florestais podem provar que gerem as suas florestas de forma sustentável. E isso ajuda a aumentar a confiança dos consumidores na compra desses produtos, pois sabem que não estão a contribuir para a desflorestação. Criar mais procura de produtos de base florestal gera mais valor para as florestas.

A somar a isto, a certificação florestal facilita a venda, fora de Portugal, da madeira e dos produtos por parte dos proprietários e das empresas florestais. Em muitos países, a certificação é um pré-requisito para fazer negócios e as políticas de compras públicas e privadas exigem cada vez mais materiais de origem florestal certificados.

Com mais de metade de toda a madeira importada em mercados como o Reino Unido e a Holanda com certificação PEFC, a nossa marca oferece uma vantagem real de mercado aos proprietários e gestores florestais com a nossa certificação.

Certificação de grupo para pequenos produtores

Sobretudo no Norte e Centro de Portugal, temos muitas pequenas propriedades florestais. A certificação está disponível e é possível para estes proprietários?

Sim. O sistema de certificação PEFC foi criado

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior Agricultores do Reino Unido pedem isenção de restrições para contratar trabalhadores estrangeiros e não faltar perú no Natal
Próximo Perceção e populismo: quem define e quais são os interesses dos animais? - Jaime Piçarra

Artigos relacionados

Últimas

Incêndios. A1 reaberta em Albergaria-a-Velha, fogo em Paus continua ativo

O principal incêndio na região de Aveiro, fustigada por vários fogos florestais desde quinta-feira, em especial nos concelhos de Águeda e Albergaria-a-Velha, […]

Sugeridas

Governo espera concluir em julho negociações para exportação de carne de suíno para a China

Cartaxo, Santarém, 22 jun (Lusa) — O secretário de Estado da Agricultura disse hoje, no Cartaxo, esperar que o processo negocial com a China para a abertura do “fluxo de exportações” […]

Últimas

Ovino: ventas mínimas en el mercado nacional


En el mercado del ovino las lonjas reflejaron repeticiones generalizadas en las cotizaciones. Según el sector comercializador, los precios continúan altos tanto en España como en la Unión Europea. […]