Cereais – Projeto Convigna

Cereais – Projeto Convigna

Este projeto visa desenvolver uma metodologia para a produção de milho em consociação com feijão-frade, adaptada a diferentes regiões de Portugal, num contexto de alterações climáticas.

Este projeto é desenvolvido pelo Grupo Operacional CONVIGNA que tem parceria com o INIAV e com a Empresa Living Seeds.

Objetivos:

– Desenvolvimento de uma metodologia para a produção de milho em consociação com feijão-frade, adaptada a diferentes regiões de Portugal, num contexto de alterações climáticas

– Promoção do uso de práticas agrícolas sustentáveis e da eficiência dos recursos naturais em Modo de Produção Biológico (MPB).

Resultados Expectáveis

Espera-se conseguir desenvolver uma metodologia para a produção de milho em consociação com feijão-frade, que possa auxiliar produtores, organizações de produtores, cooperativas agrícolas e Associações.
Bem como aumentar o leque de culturas tradicionais adaptadas às alterações climáticas e às exigências de uma produção sustentável.

 

→Consulte mais informação aqui←

Comente este artigo
Anterior Governo dos Açores reforça cooperação na área da agricultura em Bruxelas
Próximo Agricultura dos Açores quer mais 10 a 20 ME para o POSEI no novo quadro comunitário

Artigos relacionados

Cotações ES

Las patatas disparan su precio más del 244% en La Rioja


El sector ha retomado el impulso alcista que domina desde el comienzo de esta campaña y que se afianza con la constatación de unas existencias muy cortas en las principales zonas productoras, […]

Sugeridas

Elaia investe na conservação da biodiversidade do olival

A Elaia nasceu em 2007 com a ambição de plantar o maior olival do mundo no Alentejo. O sonho tornou-se realidade e este projeto agrícola é hoje uma referência mundial. […]

Sugeridas

‘Execute-se o MAR 2020’ – Editorial de Teresa Silveira + Suplemento AgroVida de Fevereiro da Vida Económica

[Fonte: AgroVida]
A edição de fevereiro 2019 do suplemento “AgroVida”, que sai para as bancas esta sexta-feira com o jornal “Vida Económica”. […]