Castro Marim investe em sistemas de rega mais eficientes e combate desperdício no consumo de água

Castro Marim investe em sistemas de rega mais eficientes e combate desperdício no consumo de água

Em estreita colaboração com a Agência Portuguesa do Ambiente, I.P. (APA), o Município de Castro Marim viu recentemente aprovada uma candidatura ao Fundo Ambiental, no âmbito da eficiência hídrica, nomeadamente na melhoria de infraestruturas e tecnologias de gestão de rega em espaços verdes urbanos e na modernização e controlo ativo de perdas.

Tendo em conta as alterações climatéricas a que temos assistido, como o aumento da temperatura média anual, os grandes períodos de seca e seca severa ou a subida do nível médio do mar, tornou-se imperativo tomar providências que garantam a proteção e a melhor gestão dos recursos hídricos, sobretudo na região algarvia.

É neste enquadramento que surge esta candidatura, pretendendo-se a modernização e controlo ativo de perdas de água na rega dos, cerca de 70, espaços verdes que existem nas freguesias de Altura e Castro Marim, bem como a monitorização da rede de abastecimento municipal, através da aquisição de equipamentos de controlo e medição, que se associarão assim ao processo de leitura e faturação por sistema de telemetria já em curso desde 2019.

Esta modernização dos serviços de abastecimento de água e controlo ativo de perdas de água na rega representam um investimento total de cerca de 250.000,00 euros, garantindo uma maior eficiência dos serviços, a identificação das perdas de água na rede, leituras mensais e reais e um melhor e mais eficaz controlo de fraudes nos sistemas de contadores.

Procurando alertar e sensibilizar a população para a escassez de água a que temos assistido, depois, inclusive, de um ano de seca extrema, a autarquia castromarinense vai também avançar com uma campanha dirigida à comunidade que visa a promoção da poupança e uso consciente da água.

“Estamos a trabalhar no sentido de ter um município cada vez mais sustentável, resiliente e flexível”, declarou a vice-presidente Filomena Sintra, sublinhando que o Município tem adotado outras estratégias que visam contribuir para a mitigação dos efeitos das alterações climáticas, nomeadamente um plano de investimentos em viaturas elétricas, que disponibiliza para os seus serviços internos e também para deslocações mais longas, a instalação de Postos de Carregamento Normal (PCN), a instalação de parqueamentos para bicicletas em vários pontos do concelho, o desenvolvimento do projeto “Triangulo Ciclável”, que ligará, por ciclovias, Vila Real de St. António – Castro Marim – Praia Verde, entre outras.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Acréscimo: de 2016 a 2020, primeira vez, ardeu mais floresta do que área de matos
Próximo Proposta de Orçamento do Estado 2021: Agricultura e Florestas

Artigos relacionados

Notícias apoios

Ilegalidades obrigam agricultores a devolver mais de meio milhão de euros

As irregularidades abrangem dois fundos europeus e estão, na sua maioria, relacionadas com a elegibilidade das despesas apresentadas e com o investimento inexistente, […]

Últimas

Linha de crédito de 1 000 milhões de euros destinada a jovens agricultores

A Comissão Europeia e o Banco Europeu de Investimento (BEI) lançaram uma linha de crédito de 1 000 milhões de euros destinada especificamente aos jovens agricultores. […]

Nacional

Fladgate conta produzir um milhão de latas do novo vinho do Porto em lata este ano

O novo vinho do Porto tónico pronto a beber em lata, produto das marcas Taylor’s e Croft, está presente nos mercados nacional, norte-americano e britânico, sendo perspetiva dos responsáveis […]