Castro Marim adopta medidas estratégicas para diminuição dos consumos de água

Castro Marim adopta medidas estratégicas para diminuição dos consumos de água

A Câmara Municipal de Castro Marim adotou medidas para a diminuição dos consumos de água no concelho, considerando a situação de seca extrema, em pleno período estival, e os baixos níveis de água nas barragens e reservatórios que podem vir a afetar o abastecimento púbico de água.

Salvaguardando o bom uso da água, a autarquia planeou a adoção de medidas imediatas de redução de gastos de água pelos serviços e nos equipamentos municipais e lançará uma campanha dirigida à comunidade com vista à sensibilização para a poupança e uso consciente de água.

O Município procedeu à instalação de contadores e redutores de caudal e planeou reduzir os seus gastos de água na rega de espaços verdes e a lavagens da frota automóvel, excetuando os veículos de recolha de resíduos. Será ainda suspenso o funcionamento dos lava-pés de praia, equipamentos que registam elevados consumos de água e, sempre que possível e necessário, usará água não potável das estações de tratamento, para a lavagens de ruas e rega, medidas de contingência necessárias, que permitirão preservar a disponibilidade de água potável.

Paralelamente e, considerando que a falta de água e a seca são um assunto da responsabilidade de todos, o Município promove uma campanha de sensibilização dirigida às populações incentivando-as à práticas de poupança de água e à redução de usos supérfluos. Neste âmbito, é feito um apelo aos munícipes para que colaborem e informem os serviços municipais sempre que detetem avarias ou anomiais de abastecimento de água, com vista a uma rápida intervenção na resolução de roturas nas sistemas de abastecimento de água, minimizando assim as fugas e desperdícios desde bem essencial.

Como medidas de longo prazo, a autarquia já está procedeu à adoção de soluções de projetos que reduzam as áreas ajardinadas e a plantação de espécies autóctones de baixos consumos, no da Envolvente da Casa do Sal e Entrada Nascente de Castro Marim, bem como, a elaboração dos projetos EcoJardins e EcoRibeira, assentes em princípios de maior sustentabilidade ambiental.

Consciente dos problemas estruturais das redes de abastecimento de água, particularmente nas localidades de Castro Marim e Altura, algumas com 60 anos, o Município iniciou o processo de elaboração de projetos e estudo de viabilidade económica e financeira para uma intervenção de fundo neste setor.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Combate à vespa asiática em Miranda do Corvo
Próximo Suinicultores obrigados a declarar porcos em agosto para controlo da doença de Aujeszky

Artigos relacionados

Últimas

Vinho com menos cor e menor acidez. É o impacto das alterações climáticas na vinha

O clima é um dos principais fatores que determina a produtividade da videira. As regiões mais afetadas são o Douro superior, […]

Últimas

AGRIANGUS está focada em trazer o melhor da raça para Portugal

Há uma seleção criteriosa da genética utilizada e só são selecionados para reprodução os animais melhoradores. Só assim se conseguem preservar as características que fazem desta raça uma das preferidas no mundo e que desde a primeira hora foi a escolha da empresa de Tomar. […]

Últimas

Governo apresenta plano de combate ao desperdício alimentar no final do ano

[Fonte: Vida Rural]
O Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Vieira, anunciou esta semana que até ao final do ano será apresentado pelo Governo um plano nacional de combate ao desperdício alimentar. […]