Caloiros da católica-lisbon “arregaçam as mangas” para a apanha da batata

Caloiros da católica-lisbon “arregaçam as mangas” para a apanha da batata

No próximo dia 6 de Setembro, a AGROMAIS e AGROTEJO vão receber nos campos da Golegã, pelo terceiro ano consecutivo, 150 caloiros da Universidade CATÓLICA LISBON SCHOOL OF BUSINESS & ECONOMICS, em mais uma ação do projeto Restolho.

O “Dia Solidário” da CATÓLICA-LISBON, que tem como objetivo integrar os novos alunos no ambiente académico, envolvendo-os e partilhando os valores fundamentais que estão na base da cultura da universidade, adere uma vez mais ao projeto Restolho.

Criado sob o mote “uma segunda colheita para que nada se perca”, lançado no ano 2013, pela AGROMAIS e AGROTEJO, em parceria com a Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome (FPBACF) e a ENTRAJUDA, o projeto Restolho tenta fazer a ponte entre os produtos hortícolas que ficam nos campos e os Bancos Alimentares da região onde se inserem estas organizações de produtores.

Como objetivo para além da distribuição de alimentos a famílias carenciadas pretende-se assim, ver reduzido o desperdício alimentar na atividade agrícola.

Desde o seu início este projeto já recebeu mais de 2000 voluntários, entre empresas, escolas, universidades e colheu cerca de 70 toneladas de produtos hortícolas nomeadamente, abóbora, alho, cebola, couves, batata, fava, melão, tomate entre outros, que por serem perecíveis, não são habitualmente doados nas campanhas de recolha apesar da sua importância na alimentação.

Estima-se que Portugal perde anualmente cerca de um milhão de toneladas de alimentos produzidos para consumo humano.

 

AGENDA:

11H00 | PARTIDA DO CAMPUS DA CATÓLICA-LISBON PARA A GOLEGÃ

13H00 | PIQUENIQUE NA GOLEGÃ

14h30 | INICIO DA APANHA DA BATATA

17H00 | REGRESSO A LISBOA

 

Comente este artigo
Anterior Projecto Melhor Eucalipto - 6 de Setembro 2017 - Ferreira do Zêzere
Próximo IX Simpósio Internacional do Kiwi - 6 a 9 de Setembro 2017 - Porto

Artigos relacionados

Nacional

Recuperação de muros no Douro teve apoio de 20 milhões

Vitivinicultores do Douro alertam que cerca de “mil projetos” de recuperação dos tradicionais muros de xisto foram chumbados pelo PDR2020. Ministério garante que deu apoio de 20 milhões em 2016. […]

Últimas

Alqueva: o valor da água na produção agrícola, como deve ser poupada e perspectivas futuras

(Artigo publicado na edição de Abril por J. Paulo de Melo e Abreu, ISA & LEAF, Universidade de Lisboa)
O consumo anual de água per capita em Portugal é dos mais elevados da UE e a produtividade económica da água é baixa (EEA, […]

Sugeridas

Cheias no Mondego. “Estado não tem meios para tomar conta daquilo que é seu”

Bastonário dos engenheiros, Mineiro Aires, lamenta que o Estado não dê a devida atenção aos alertas dos engenheiros e alerta para a falta de meios humanos na Agência Portuguesa do Ambiente. […]