Balanço provisório aponta para 3.700 hectares de floresta ardidos em Vila de Rei

Balanço provisório aponta para 3.700 hectares de floresta ardidos em Vila de Rei

O presidente da Câmara de Vila de Rei fez esta quarta-feira um balanço provisório da destruição causada pelo incêndio e disse que, no concelho, arderam cerca de 3.700 hectares, sobretudo de floresta, além de algumas habitações, alfaias agrícolas, olivais e medronhal.

“A dimensão do incêndio em Vila de Rei atingiu cerca de 3.700 hectares, basicamente floresta, mas também algumas culturas. Neste momento, há ainda algumas casas, umas que arderam totalmente e outras que foram atingidas parcialmente”, afirmou Ricardo Aires à agência Lusa.

O autarca realçou que se trata de um balanço muito provisório, visto que os técnicos deste município do distrito de Castelo Branco estão agora no terreno a fazer o levantamento dos prejuízos causados pelo fogo que começou no sábado neste território do distrito de Castelo Branco e que alastrou depois a Mação, já Santarém.

Adiantou ainda que, além da floresta e de habitações, houve muitas alfaias agrícolas, tratores, olivais e medronhais destruídos pelas chamas.

Ricardo Aires explicou que as pessoas estavam a apostar muito no olival e no medronheiro para mudar um pouco a paisagem florestal que, basicamente, era de pinheiro.

“Infelizmente, o que tinha dito há algum tempo veio mais uma vez a acontecer”, disse.

O autarca realça a importância do cadastro para a ordenação da floresta.

“Sem ele [cadastro] não vamos conseguir por a nossa floresta ordenada. Quanto mais tarde o fizermos, mais atrasados estamos em relação a outros concelhos”.

Apesar da tragédia que voltou a atingir o concelho de Vila de Rei, o presidente do município entende que esta pode ser uma oportunidade para o ordenamento florestal: “É o que eu espero”.

Vários incêndios deflagraram no distrito de Castelo Branco ao início da tarde de sábado. Dois com origem na Sertã e um em Vila de Rei assumiram maiores dimensões, tendo este último alastrado, ainda no sábado, ao concelho de Mação, distrito de Santarém, tendo sido dominado na terça-feira.

Continue a ler este artigo no Correio da Manhã.

Comente este artigo
Anterior Produção recorde de laranja e mais de 1 milhão de hectolitros de azeite foram excepções no ano agrícola 2017/18
Próximo Arderam 3.700 hectares de floresta em Vila de Rei

Artigos relacionados

Sugeridas

Precipitação favorece renovação dos prados e pastagens mas biomassa disponível é insuficiente para alimentar animais

A precipitação ocorrida, aliada às temperaturas ainda relativamente amenas, favoreceram a renovação da vegetação dos prados e pastagens de sequeiro, revela o Instituto Nacional de […]

Nacional

Sector europeu de flores e plantas ornamentais pede apoio urgente à União Europeia

Nove entidades europeias do sector das flores e plantas ornamentais emitiram um apelo conjunto para que a Comissão Europeia accione, com […]

Nacional

Desafios da Agricultura de Precisão em análise

Autor de vários artigos científicos publicados em revistas internacionais, José Rafael Marques da Silva, professor do Departamento de Engenharia Rural da Escola de Ciências e Tecnologia da Universidade de Évora e […]