Apanha mecânica noturna em olival superintensivo provoca mortalidade de aves

Apanha mecânica noturna em olival superintensivo provoca mortalidade de aves

O Estudo sobre os impactos das culturas intensivas e superintensivas de olival em áreas de regadio desenvolvido pelo Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV), confirma que a prática de colheita mecânica noturna de azeitonas nos olivais superintensivos conduz à perturbação e mortalidade de aves.

O estudo elaborado para o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), indica que a apanha mecânica noturna em olivais superintensivos provoca de forma significativa a mortalidade de aves e que as medidas de mitigação testadas, concretamente os processos de espantamento ensaiadas, se revelaram ineficazes.

Com base nos dados agora conhecidos o ICNF alerta que a continuidade da prática da apanha mecânica noturna em olival será alvo de ação sancionatória nos termos da lei. O ICNF lembra que a perturbação e mortalidade de aves constituem uma infração contraordenacional e penal à legislação em vigor, nomeadamente ao Código Penal, Decreto-Lei nº 140/99, de 24 de abril, na sua atual redação e Decreto-Lei nº 316/89, de 22 de setembro.

Neste enquadramento, o ICNF vai intensificar as ações de fiscalização durante os meses de outubro de 2020 a março de 2021 no sentido de assegurar que não ocorre qualquer prática que possa promover a mortalidade de aves, designadamente a apanha noturna de azeitona.

O “Estudo técnico para a avaliação de impacto na avifauna resultante da colheita mecânica noturna” foi ordenado pelo Despacho nº 18/2019, de 19 de setembro, ao INIAV, e decorreu durante a campanha de apanha de azeitona de 2019/2020. Este estudo teve a colaboração do ICNF e da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Alentejo.

Cientes da gravidade desta prática nefasta às aves, a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), a Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal (Confragri), a Casa do Azeite e a Associação de Olivicultores do Sul (Olivum) decidiram suspender a colheita noturna mecanizada da azeitona na próxima campanha, a iniciar em outubro.

Comente este artigo
Anterior Fisco avança com avaliação do património rústico
Próximo Associação Portuguesa de Enoturismo apresentada online - 9 de julho

Artigos relacionados

Nacional

Secretário da Agricultura dos Açores pede “reflexão com profundidade” sobre alterações climáticas

O secretário da Agricultura e Florestas dos Açores defendeu “uma reflexão com toda a profundidade e cuidado” sobre as alterações climáticas, […]

Nacional

EDIA disponibiliza Carta de Aptidão do Regadio

A EDIA (Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva) passou a disponibilizar no seu site a Carta de Aptidão ao Regadio. […]

Notícias florestas

Grupo Amorim fica com um terço do Fundo Ambiental para substituir eucaliptos

O valor de 438 mil euros corresponde a duas candidaturas que a corticeira viu aprovadas, de dois lotes de 99 e 98,73 hectares […]