Vinhos do Tejo levou a maior comitiva de sempre à ProWein

Vinhos do Tejo levou a maior comitiva de sempre à ProWein

[Fonte: Gazeta Rural]

A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVR Tejo) levou, pelo quinto ano consecutivo, os Vinhos do Tejo à ProWein, em Dusseldorf, na Alemanha. De 17 a 19 de Março, a edição deste ano assinalou o 25.º aniversário da maior e mais importante feira de vinho do Mundo.

Foram 19 os produtores (*) que se fizeram representar de forma concertada e em cluster, mostrando que a união faz a força e impera na região. O maior número de agentes económicos alguma vez alcançado ocupou um stand de quase 100 metros quadrados, localizado no Hall 10.

De entre os cerca de 60.000 visitantes da ProWein, muitos foram os que tiveram a oportunidade de conhecer e degustar diferentes estilos de vinhos produzidos na eclética região vitivinícola do Tejo. De destacar a presença do primeiro-ministro António Costa, do Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural Luís Capoulas Santos e restante comitiva governamental, que visitaram a feira no dia de abertura. Também Jorge Monteiro, presidente da ViniPortugal, esteve à conversa com os produtores e Luís de Castro, presidente da CVR Tejo.

Masterclass de antigas colheitas

Em paralelo, o espaço da ViniPortugal (Hall 10, C06), recebeu, no dia 18 de Março, uma masterclass de Vinhos do Tejo de colheitas antigas. A prova foi conduzida pelo sommelier Andrzej Strzelczyk, embaixador dos Vinhos do Tejo na Polónia, sendo dirigida a importadores e distribuidores. O objectivo foi mostrar a capacidade de evolução e o potencial de envelhecimento dos néctares da região.

Por ordem de prova, foram estes os vinhos: ‘Forma de Arte Reserve tinto 2019’ (Quinta do Casal Monteiro); ‘Dona Isabel Juliana tinto 2009’ (Quinta da Lagoalva); ‘Herdade dos Templários tinto 2005’ (Herdade dos Templários); ‘Vale de Lobos tinto 2005’ (Quinta da Ribeirinha); ‘Conde de Vimioso tinto 2005’ (Falua); ‘Casa Cadaval Trincadeira tinto 2001’ (Casa Cadaval); ‘Quinta do Alqueve tinto 2001’ (Pinhal da Torre); e ‘Fiuza Cabernet Sauvignon tinto 1997’ (Fiuza). 

(*) Vinhos do Tejo – Lista de Produtores Representados na ProWein

·       Adega de Almeirim

·       Adega do Cartaxo

·       Adega M Cordeiro

·       Casa Cadaval

·       Casal Branco

·       Casal da Coelheira

·       Falua

·       Fiuza

·       Herdade dos Templários

·       Pinhal da Torre

·       Quinta da Alorna

·       Quinta da Badula

·       Quinta da Lagoalva

·       Quinta da Lapa

·       Quinta da Ribeirinha

·       Quinta do Arrobe

·       Quinta do Casal Monteiro

·       Quinta Monteiro de Matos

·       Terreiro

Comente este artigo

O artigo Vinhos do Tejo levou a maior comitiva de sempre à ProWein foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Anterior Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas 2019
Próximo Semana da Floresta e da Água na Lousã com mais de 600 visitantes

Artigos relacionados

Últimas

Conferência Inov2agro – Anunciadas as novas tendências e inovações do Agroalimentar

A Inovcluster e o CATAA/CEi, no passado dia 10 de janeiro de 2018, promoveram a Conferência Inov2agro – Inovação e Tendências Agroalimentares 2018, no Centro de Empresas Inovadoras (CEi), em Castelo Branco.
A inovação no setor agroalimentar dominou a Conferência Inov2agro, que contou com a partilha de uma estratégia de desenvolvimento de produtos inovadores a partir de produtos tradicionais, […]

Últimas

Svenska Skogsplantor pára de usar tratamentos químicos no pinho

[Fonte: Gazeta Rural]

Svenska Skogsplantor pára de usar tratamentos químicos no pinho
A Svenska Skogsplantor (SSP) decidiu deixar de usar pesticidas químicos contra o gorgulho do pinheiro nas plantas dos seus viveiros. Esta decisão será aplicável a todas as entregas a partir da Primavera de 2020. […]

Últimas

Grandes empresas ajudam a divulgar mudanças de comportamentos de risco dos incêndios rurais

[Fonte: Gazeta Rural]

A campanha “Portugal Chama”, que tem como objetivo sensibilizar toda a população para o problema dos incêndios rurais, entra hoje numa nova fase, que mobiliza grandes empresas para alertar para comportamentos de risco, como queimadas e fogueiras. […]