Ventos fortes e altas temperaturas complicam fogo em Vila de Rei e Mação

Continuam imparáveis os fogos que desde há mais de 30 horas consomem a floresta entre os concelhos de Sertã, Vila de Rei e Mação. A situação é muito complicada e só a madrugada poderá ditar condições para travar o incêndio. A Proteção Civil enviou novos reforços para o local.

“Em poucos minutos o fogo chegou a Cardigos, avançou à Roda e passou para Vale Dante”, contam os populares, muitos deles evacuados da praia fluvial. No Chão do Pião o fogo chegou do Carvalhal e das Casas da Ribeira. Muito povo, bombeiros e militares, todos “imparáveis para travar o fogo. Isto só pára quando arder tudo ou bater no queimado”, diz a população.

A Proteção Civil não confirma casas ardidas, mas barracões e algumas alfaias já foram consumidas pelas chamas.

O agravar da situação começou a meio da tarde, cerca das 16 horas, com a mudança do vento. Ao lado, na Sertã, um reacendimento ditou nova aflição na Rolã.

Nesta altura o fogo tem três frentes e “todas continuam sem solução”, explicam os bombeiros. O fogo prossegue empurrado pelo vento e são os “reacendimentos o que mais atrasa o combate à cabeça do fogo”. Os próprios meios aéreos “tem dificuldades em fazer descargas e tem valido um avião de coordenação, equipado com uma câmara térmica, que tem apontado os pontos mais quentes”.

O facto de ser domingo, e de haver mais pessoas nas aldeias, ajudou a uma maior mobilização popular, mas parte do efetivo de combatentes “luta há mais de 24 horas contra as chamas”, explica um dos comandantes. Para fazer a rotação das equipas e reforçar algumas frentes foram deslocadas para o local novas colunas de reforço, da Guarda e de Aveiro. No local dos dois incêndios estão perto de 1200 bombeiros e 16 meios aéreos.

A expectativa da Proteção Civil, que tem marcado novo ponto de situação para as 20 horas, é que a noite traga alguma acalmia e facilite, com a queda das temperaturas, o combate.

Mas a meteorologia não promete melhorias, apesar do aumento da nebulosidade, com previsões de trovoadas para segunda-feira, que terá tempo quente e vento fraco.

O artigo foi publicado originalmente em Expresso.

Comente este artigo
Anterior Observatório diz que há “problemas que não estão completamente resolvidos”
Próximo Incêndios. Ainda falta trabalho de preparação da floresta, diz o investigador Xavier Viegas

Artigos relacionados

Últimas

“Vamos ser outra vez campeões do mundo em qualidade e produção de tomate”

Durante a campanha do tomate, a Sugal emprega cerca de mil trabalhadores. O Ministro da Economia fez uma visita guiada à fabrica de Benavente. […]

Últimas

Projeto “Reviver Tradições” apoia produção de medronho em Monchique

No âmbito do projeto “Reviver Tradições”, desenvolvido em parceria com a Santa Casa da Misericórdia e com a Câmara Municipal de Monchique que reúne várias gerações na colheita do medronho, […]

Nacional

PAN quer corredores e abrigos para abelhas em Lisboa

O Grupo Municipal do PAN, Pessoas-Animais-Natureza apresenta hoje, 12 de Novembro, na Assembleia Municipal de Lisboa, uma recomendação para a criação de corredores e abrigos para abelhas e outros insectos polinizadores. […]