UMA ESTÓRIA POR TRÁS DA HISTÓRIA – O DIA EM QUE O FACEBOOK DEITOU ABAIXO A BATERIA DO MEU TRATOR…

UMA ESTÓRIA POR TRÁS DA HISTÓRIA – O DIA EM QUE O FACEBOOK DEITOU ABAIXO A BATERIA DO MEU TRATOR…

UMA ESTÓRIA POR TRÁS DA HISTÓRIA – O DIA EM QUE O FACEBOOK DEITOU ABAIXO A BATERIA DO MEU TRATOR 

Entre avarias e sementeiras, terminei exausto o dia em que publiquei a foto do trator e semeador (a mais vista até agora nesta página). E quando estamos cansados, cometemos mais erros!
Ao longo do dia, na solidão e monotonia da sementeira, fui desenhando na cabeça o guião do texto que pensava publicar à noite. Pouco antes de jantar, aproveitei uma paragem e tirei a foto para publicar depois de jantar e antes de mais uma etapa na sementeira (terminei perto da meia noite nesse sábado); Depois de jantar com a família, rapidamente voltei ao trator e liguei a chave para ligar as luzes, que são muitas, para ver como colocar a semente no semeador, e ao ligar a chave liguei o ar condicionado, o semeador… Entretanto, para saber as quantidades a colocar de cada semente, fui ao escritório da vacaria buscar o apontamento com o plano da sementeira e lembrei-me da publicação que queria fazer no facebook e que, pensava eu, demorava dois minutos. Não sei quanto demorou, mas quando voltei ao trator para colocar a semente, já não tinha carga na bateria do trator!
Depois de me zangar comigo próprio e dizer qualquer coisa que não se deve dizer, respirei fundo, fui buscar o trator mais pequeno com os cabos para “dar de mamar” à bateria do grande, deixei alguns minutos o pequeno a trabalhar enquanto abastecia a semente, dei à chave, o trator ligou, respirei de alívio, fechei os capôs e, mais calmo, lembrei-me de tirar esta foto para recordação, enquanto me lembrava que se diz que “o grande nunca pediu ao pequeno”, mas afinal “não há regra sem exceção”…
Lições desta história:
Desligar o trator antes de fazer publicações no facebook!
Nunca devemos sentir-nos inferiores por ser pequenos, ter um trator pequeno, uma “casa de lavoura” pequena… o importante é fazer sempre o que devemos, o melhor que podemos e sabemos. Todos somos importantes!
Quem brilha muito e trabalha pouco não carrega a bateria e acaba a pedir!
E com esta me vou, fiquem bem!

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Carlos Neves Agricultor.

Anterior Nuno Russo: Tecnologia deve fazer a diferença na projeção da agricultura biológica
Próximo Os agricultores são felizes? - José Pena

Artigos relacionados

Últimas

Agrogarante promove “Conversas de Agricultura” em Castelo Branco

Home Agenda Agrogarante promove “Conversas de Agricultura” em Castelo Branco

Terá lugar no dia 26 deste mês de Fevereiro, […]

Sugeridas

CAP quer PS, PSD e CDS a discutir futuro da agricultura em Portugal

[Fonte: O Jornal Económico]
Em época de pré-campanha eleitoral, a CAP mostra-se preocupada com a ausência de referências à agricultura e às florestas no discurso político, […]

Últimas

Ensino Profissional Agrícola

Apesar dos preconceitos os jovens são dotados com as competências técnicas e transversais enquadradas no perfil do aluno para o séc. […]