UE espera fechar “mini acordo” comercial com os EUA

UE espera fechar “mini acordo” comercial com os EUA

Segundo o comissário europeu do Comércio, este acordo pode explorar as possibilidades no que toca a reduzir os obstáculos administrativos para as trocas comerciais no setor agrícola.

Phil Hogan, comissário europeu do Comércio e responsável pelas negociações comerciais com os EUA, avançou ao Financial Times que espera conseguir fechar um “mini acordo” com os Estados Unidos, agora que vê uma janela de oportunidade.

“Eles (os Estados Unidos) deram-nos 30 dias de suspensão das tarifas sobre os produtos da Airbus, o que nos dará a oportunidade de fazer algum tipo de acordo”, disse, considerando que “estamos num ponto melhor agora do que há umas semanas… Com boa vontade política de ambas as partes podemos fazer muito num curto período de tempo”.

Este acordo, ainda segundo Hogan, pode explorar as possibilidades no que toca a reduzir os obstáculos administrativos para as trocas comerciais no setor agrícola, embora, ressalve, sem comprometer os padrões de qualidade e segurança da União Europeia.

Uma redução das tarifas sobre os bens industriais também está em cima da mesa, assim como a criação de critérios internacionais no que toca às novas tecnologias. Independentemente do conteúdo, o responsável pelo comércio da UE assegura que vai ser privilegiada a substância sobre a velocidade. 

Bruxelas e Washington têm vindo a divergir em relação aos subsídios concedidos pela União Europeia à francesa Airbus, que são vistos pelos americanos como concorrência desleal à Boeing – uma discussão que dura há cerca de uma década mas que ganhou um novo fôlego depois de o presidente norte-americano, Donald Trump, ter assinado um acordo comercial de fase um com a China em dezembro, altura em que voltou a concentrar as atenções no bloco europeu.

Os Estados Unidos anunciaram que vão aumentar as tarifas sobre as naves aéreas feitas na União Europeia mas adiou esta medida para dia 18 de março, ao mesmo tempo que recuou na aplicação de tarifas sobre vários outros produtos.

No último mês de janeiro, Donald Trump esteve com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, em Davos, na reunião do Fórum Económico Mundial, ocasião na qual se mostrou confiante de que ambas as partes conseguiriam chegar a um “grande acordo comercial”.

O artigo foi publicado originalmente em Jornal de Negócios.

Comente este artigo
Anterior Mercadona adere ao pacto português para os plásticos
Próximo UE disposta a acelerar aprovação de alimentos modificados vindos dos EUA

Artigos relacionados

Dossiers

Debate de la PAC: España defiende que al menos el 40% de las ayudas tengan relación con los objetivos medioambientales

Los ministros de Agricultura de la Unión Europea (UE) debatieron este martes 24 un conjunto de medidas para tratar de mitigar los efectos nocivos de las explotaciones agrícolas y ganaderas sobre el medio ambiente a través de acciones como la captura de carbono. […]

Últimas

Açores recebe Assembleia das Regiões Europeias Vitícolas a 12 de Junho

A sessão plenária da Assembleia das Regiões Europeias Vitícolas (AREV) realiza-se no próximo dia 12 de Junho, na Sociedade Amor da Pátria, […]

Últimas

Oferta de emprego – Promotor técnico – Agrónomo – Porto

Empresa lider de mercado de produção e comercialização de produtos para a agricultura, pretende admitir para integrar a direcção comercial […]