Mercadona adere ao pacto português para os plásticos

Mercadona adere ao pacto português para os plásticos

A Mercadona junta-se à Smart Waste Portugal para promover a Economia Circular no país através da adesão ao Pacto Português para os Plásticos. A empresa de supermercados subscreve metas ambiciosas para 2025 e reforça o seu compromisso com a sustentabilidade

A Mercadona integra o Pacto Português para os Plásticos, plataforma colaborativa que pretende fomentar a Economia Circular dos plásticos em Portugal e evitar que estes se transformem em resíduos.

Liderada pela Associação Smart Waste Portugal, a iniciativa estabelece um conjunto de metas ambiciosas para 2025 com vista a um futuro cada vez mais sustentável e conta com o apoio do Ministério do Ambiente e da Ação Climática, do Ministério do Mar, do Ministério da Economia e Transição Digital e com o Alto Patrocínio de Sua Excelência, o Presidente da República. O Pacto Português para os Plásticos faz parte da Rede Global de Pactos para os Plásticos da Fundação Ellen MacArthur.

Alinhado com a estratégia de gestão ambiental da Mercadona, o Pacto Português para os Plásticos traça os seguintes objetivos para 2025:

  • Definir, até 2020, uma listagem de plásticos de uso único considerados problemáticos ou desnecessários e definir medidas para a sua eliminação; 
  • Garantir que 100 % das embalagens de plástico são reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis;
  • Garantir que 70 % ou mais, das embalagens plásticas são efetivamente recicladas, aumentando a recolha e a reciclagem;
  • Incorporar, em média, 30 % de plástico reciclado nas novas embalagens de plástico;
  • Promover atividades de sensibilização e educação aos consumidores para a utilização circular dos plásticos.

Ao integrar o Pacto Português para os Plásticos, a Mercadona passa a fazer parte também da rede global dos Pactos para os Plásticos da Fundação Ellen MacArthur, acedendo a uma plataforma exclusiva de troca de conhecimento, aprendizagens e práticas sustentáveis em todo o mundo.

Plácido Albuquerque, Diretor de Ambiente da Mercadona em Portugal, adianta: “A Mercadona está comprometida com um processo de transformação a todos os níveis, não sendo alheia aos desafios que enfrenta a Sociedade de que faz parte. A adesão ao Pacto Português para os Plásticos é um passo fundamental na promoção da Economia Circular, que se enquadra na estratégia de Responsabilidade Social da empresa. Esperamos, em conjunto com todas as entidades que integram a iniciativa, traçar metas concretas que garantam o uso responsável, sustentável e circular dos plásticos em Portugal”. Pedro São Simão, coordenador do Pacto Português para os Plásticos: “O Pacto Português para os Plásticos congratula-se pela adesão da Mercadona como membro fundador desta iniciativa. A Mercadona junta-se a um número crescente de entidades da cadeia de valor dos

plásticos nacional, que se uniram em torno de uma visão comum – uma economia circular para os plásticos em Portugal. Os membros que compõe o Pacto Português para os Plásticos assumiram um conjunto de metas ambiciosas até 2025. Ao desenvolverem esforços, individuais e coletivos, para alcançar estas metas, os membros do Pacto Português para os Plásticos irão contribuir para um uso responsável, sustentável e circular dos plásticos em Portugal, garantindo o melhor uso deste material, sem nunca comprometer o ambiente”

Mercadona – Socialmente Responsável com o Meio Ambiente

Recorde-se que a Mercadona tem reforçado o seu compromisso com a sustentabilidade ao longo dos últimos anos. Em abril 2019, a Mercadona concluiu a substituição total de sacos de plástico por outros de papel e com 50-70 % de plástico reciclado em toda a rede de lojas. Para o seu fabrico, a empresa aproveita anualmente mais de 3.000 toneladas de plástico proveniente das embalagens depositadas e recuperadas das suas lojas.

Em 2010, a Mercadona foi reconhecida pelo lançamento de uma nova linha de produtos para o lar, elaborada pelo fornecedor SP·Berner, a partir de plástico proveniente de mantas agrícolas térmicas, o que permite reciclar 2.000 toneladas de plástico por ano.

A par destas medidas, e entre outras iniciativas, destacam-se a eliminação dos microplásticos de todos os seus produtos de cosmética e cuidados pessoais; a substituição do plástico dos cotonetes por material de celulose; assim como o fabrico de embalagens de cartão com pasta extraída de cana de açúcar disponíveis na secção “Pronto a Comer”. Estes são exemplos de ações concretas que a empresa tem vindo a implementar na redução do uso de plásticos em toda a cadeia.

A Mercadona mantém o seu compromisso na procura de soluções mais sustentáveis, estando em estudo diversas iniciativas que serão apresentadas e aplicadas ao longo do ano.

Comente este artigo
Anterior Brigido Chambra: «O olival tradicional não tem hipótese de concorrer no mercado internacional»
Próximo UE espera fechar "mini acordo" comercial com os EUA

Artigos relacionados

Nacional

Somália declara “emergência nacional” devido a praga de gafanhotos

“O Ministério da Agricultura (…) declarou emergência nacional devido ao aumento atual dos gafanhotos, que constituem uma grande ameaça para a frágil situação de segurança alimentar na Somália”, […]

Nacional

Santos e Vale abre nova plataforma em Castanheira do Ribatejo

A Santos e Vale vai inaugurar até final deste mês de Fevereiro um novo centro logístico em Castanheira do Ribatejo, que irá […]

Nacional

Vintages 2017 da Churchill’s com 96 pontos na Wine Spectator

O Churchill’s Vintage Port 2017 e o Quinta da Gricha Vintage Port 2017 receberam recentemente 96 pontos de James Molesworth, editor senior da Wine Spectator. […]