Três bombeiros sofreram ferimentos ligeiros em incêndio

Três bombeiros sofreram ferimentos ligeiros em incêndio

Três bombeiros sofreram ferimentos ligeiros quando combatiam as chamas no incêndio florestal que deflagrou esta segunda-feira à tarde no concelho de Alandroal, distrito de Évora, disse à agência Lusa fonte da Proteção Civil.

A fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora adiantou que os três bombeiros foram transportados para o Hospital de Santa Luzia, em Elvas, no distrito de Portalegre, devido a inalação de fumos, não tendo sido indicadas as corporações a que pertencem.

Cerca das 21h48, o incêndio continuava fora de controlo, devastando uma área de pasto e povoamento florestal, sobretudo eucaliptal, não havendo registo de casas em perigo, de acordo com o site da Proteção Civil.

O incêndio, que deflagrou na zona do Monte das Parreiras, entre as localidades de Mina do Bugalho e Rosário, na União das Freguesias de Alandroal, chegou a ter três frentes ativas, adiantou a mesma fonte.

O alerta foi dado às 15h32 e pelas 21h48 estavam envolvidos no combate ao fogo 182 operacionais, apoiados por 59 veículos.

O artigo foi publicado originalmente em Rádio Renascença.

Comente este artigo
Anterior Feira Nacional de Agricultura recebe seminário “Agricultura, mundo rural e estatuto da agricultura familiar”
Próximo Cotações – Aves e Ovos – Informação Semanal – 27 Maio a 2 Junho 2019

Artigos relacionados

Sugeridas

Comunicado DGADR: “Emparcelar para Ordenar”

Na sequência da publicação do Decreto-Lei n.º 29/2020, de 29 de junho, que criou o programa de apoio ao Emparcelamento Rural Simples, designado […]

Últimas

Quercus defende maior investimento na prevenção dos incêndios

A associação ambientalista Quercus defende um maior investimento das verbas destinadas aos fogos florestais na vigilância e na prevenção e não para o combate. […]

Últimas

“Interior não pode continuar a ser ignorado”, diz Cáritas de Portalegre-Castelo Branco

A Cáritas diocesana já angariou mais de quatro mil euros para ajudar as vítimas dos incêndios de 2019.

O presidente da Cáritas Diocesana de Portalegre–Castelo Branco diz que o interior “não pode continuar a ser ignorado” e a “ser pasto de chamas”. […]