Tratar o Pedrado da Macieira só quando o risco aumentar

Tratar o Pedrado da Macieira só quando o risco aumentar

Na circular n.º2 de 2019 a Estação de Avisos de Entre Douro e Minho alerta que ainda não é altura de fazer tratamentos em relação ao Pedrado da Macieira (Venturia inaequalis), face ao baixo risco.

O início dos tratamentos sistemáticos só deve ter lugar no início da rebentação (estado C-C3 nas macieiras; estado C3-D nas pereiras), se forem previstos períodos de chuva. Os produtores devem estar atentos a novas informações.

Princípios da proteção contra o pedrado da macieira e da pereira

A luta química contra o pedrado das pomóideas tem três objetivos principais:

1 – Evitar a instalação da doença durante o período de contaminações primárias.

2 – Posicionar os tratamentos de modo preventivo, o mais próximo possível dos períodos de risco.

3 –  Limitar o aparecimento de resistências, praticando uma alternância de produtos tão larga quanto possível, durante todo o período em que é necessário fazer tratamentos contra o pedrado.

Na luta contra o pedrado, deve ter em conta a necessidade de: 

Realizar os tratamentos com os necessários cuidados, de acordo com práticas corretas, respeitando as doses dos produtos e os períodos em que se prevê que serão mais eficazes.

Dispor dos meios materiais e humanos necessários para fazer os tratamentos no momento certo.

Dispor de material de aplicação em boas condições, corretamente regulado.

Fazer uma cobertura completa de todas as árvores, não deixando partes do pomar por tratar.

Respeitar as doses e concentrações do produto recomendadas (ler e seguir as indicações do rótulo).

Seguir as indicações e recomendações transmitidas pela Estação de Avisos para o tratamento contra o pedrado.

O artigo foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Comente este artigo
Anterior CNA acusa Governo de “lançar confusão” no minifúndio florestal
Próximo Entrega dos Prémios “Mais Alqueva Mais Valor”

Artigos relacionados

Últimas

Madeira. Há 10 anos, um temporal devastou a ilha e depois vieram os incêndios que a tornaram mais frágil

Dez anos após o temporal de 20 de fevereiro de 2010, muitas áreas da Madeira continuam vulneráveis face à eventual ocorrência de chuvas […]

Nacional

Acesso vedado a carecas ou desdentados. Regras para guardas florestais parecem desproporcionais à “primeira vista”

[Fonte: O Jornal Económico]

O concurso lançado em fevereiro para guardas-florestais da Guarda Nacional Republicana (GNR) levantou muita polémica. […]

Últimas

Incêndios Outubro 2017: Manta de eucaliptos aviva memória dos dias em que o “diabo andou à solta” em Monção

As chamas começaram quando a noite de 14 de outubro de 2017 tinha começado a cair. Deflagrou nas freguesias vizinhas de Longos Vales e Merufe. […]