Syngenta – acelerar a Inovação num mundo em mudança

Syngenta – acelerar a Inovação num mundo em mudança

Syngenta – acelerar a Inovação num mundo em mudança

 A Syngenta anunciou que vai acelerar o seu processo de inovação para responder aos crescentes desafios que os agricultores enfrentam em todo o mundo e às novas expectativas da Sociedade. O anúncio foi feito em Bruxelas, a 8 de Abril, em paralelo com a apresentação dos resultados obtidos pela Syngenta em 2018 no âmbito do The Good Growth Plan, o plano de sustentabilidade da empresa.

«Os agricultores de hoje têm de lidar com as alterações climáticas, a erosão do solo e a perda de biodiversidade e em simultâneo com as novas expectativas dos consumidores sobre a tecnologia agrícola.

Há claramente necessidade de inovar e de fazer mais para responder a estes desafios, de forma a que todos possamos beneficiar – agricultores, consumidores e Ambiente», afirmou Alexandra Brand, Chief Sustainability Officer da Syngenta.

Este anúncio é consequência de mais de 150 consultas de opinião que a Syngenta realizou a nível mundial, envolvendo públicos com diferentes perspetivas sobre a Agricultura e a Alimentação. Desta iniciativa resultou um entendimento muito mais claro acerca das expectativas da Sociedade e dos agricultores sobre o futuro da Agricultura Sustentável.

A nova abordagem da Syngenta visa levar mais além a forma como se produzem e protegem as culturas agrícolas e encontrar soluções que respondam em simultâneo aos desafios ambientais sociais e económicos.

A Syngenta vai focar-se em três áreas distintas:

-Inovação orientada para a Sociedade e o Ambiente- A opinião da Sociedade e os requisitos ambientais serão cada vez mais importantes em todo o processo de inovação e de desenvolvimento de soluções para as necessidades dos agricultores. Os novos produtos serão desenvolvidos tendo em conta princípios de sustentabilidade validados externamente.

-Esforço de redução dos resíduos nas culturas agrícolas e no Ambiente- A Syngenta pugna pela

segurança dos seus produtos altamente regulados e pelo papel fundamental que desempenham na proteção da qualidade e segurança alimentar. No entanto, a Syngenta ouviu e vai trabalhar com os seus parceiros para reduzir ainda mais os níveis de resíduos nas culturas, sem pôr em causa a produtividade agrícola, e vai continuar a trabalhar para melhorar a saúde do solo e prevenir a erosão do mesmo.

-Investimento em áreas importantes para os agricultores e o Ambiente. A Syngenta vai colaborar com agricultores, investigadores e ambientalistas na investigação e desenvolvimento de soluções sustentáveis. E será transparente ao informar sobre o progresso e resultados destes investimentos através de relatórios periódicos.

Comitiva portuguesa viajou para Bruxelas a convite da Syngenta

Um grupo de responsáveis de associações de produtores, confederações e empresas agrícolas portuguesas, do Ministério da Agricultura e do Parlamento viajou para Bruxelas a convite da Syngenta para assistir à apresentação do plano de sustentabilidade da empresa e dos seus compromissos com a Agricultura.

Aqui ficam os testemunhos de alguns dos participantes:

«Os princípios de sustentabilidade que a Syngenta apresentou são perfeitamente idênticos aqueles que o nosso grupo está a prosseguir nas componentes social, económica e ambiental. Estamos sobretudo a investir em Agricultura de Precisão que nos vai ajudar a melhorar a eficiência agrícola, usando menos inputs com o mesmo out-come. Tal como a Syngenta nos mostrou aqui também nós estamos a iniciar um trabalho para melhorar a vida no solo, com análises da vida microbiana e medição da eletrocondutividade. É uma área muito relevante para a produtividade e sustentabilidade da cultura do tomate indústria», Tiago Costa, responsável de Agribusiness Grupo Ortigão Costa

«A Elaia quer produzir azeites de qualidade com respeito pelo meio ambiente. Iniciativas como esta da Syngenta têm muito a ver com a nossa forma de trabalhar: recolher conhecimento e pô-lo ao serviço da agricultura, visando a produtividade, mas com o uso eficiente dos recursos (água, solo e biodiversidade). Hoje assistimos a painéis super interessantes reconhecendo que as práticas de maneio do solo são essenciais e também como temos que estar sempre atentos à inovação, ouvindo o consumidor. A auscultação que a Syngenta fez a nível mundial é uma inspiração para Elaia», Isabel Ribeiro, Elaia (Grupo Sovena)

«O plano de sustentabilidade apresentado pela Syngenta mostra bem a forma responsável como o setor agrícola encara e gere a sua atividade, tendo em conta os 3 pilares: económico, social e ambiental. É algo que se enquadra totalmente no espírito da indústria de proteção das plantas. Congratulo a Syngenta pelo seu trabalho», António Lopes Dias, diretor executivo da Associação Nacional da Indústria para a Proteção das Plantas

«O mais interessante foi ver como a Syngenta está alinhada com a necessidade de comunicar de forma transparente com o consumidor e como atua com preocupações de sustentabilidade e ambientais. Comunicar bem com o consumidor é algo que o setor agrícola tem dificuldade em fazer», Alexandra Diogo, secretária geral da Federação Nacional das Organizações de Produtores de Frutas e Hortícolas

«Foi muito positivo assistir à visão de estratégia integrada entre o potencial genético das sementes na luta contra pragas e doenças e na adaptação às alterações climáticas. Se trabalharmos o potencial genético das sementes estamos a prever uma série de problemas futuros e a potenciar o rendimento das culturas», Joana Aleixo, secretária geral da Associação Nacional dos Produtores e Comerciantes de Sementes

 «O Planeta tem de ser preservado e o trabalho que a Syngenta está a fazer para encontrar caminhos para a sustentabilidade, de forma a que nós agricultores possamos fazer uma agricultura mais eficiente e com menor impacto no meio ambiente, é absolutamente fundamental. O caminho é a biotecnologia, para termos culturas cada vez mais adaptadas às alterações climáticas, e o uso eficiente dos recursos. A Syngenta está um passo à frente a descobrir este caminho», José Palha, presidente da direção da Associação Nacional de Produtores de Cereais

«A APOSOLO já teve uma experiência positiva deste trabalho que a Syngenta tem vindo a realizar nos dias de campo alertando os agricultores para a erosão dos solos, que é um problema grave em Portugal. Aqui neste evento viu-se que a Syngenta está preocupada, além da venda de sementes e soluções para controlo de pragas, doenças e infestantes, em promover técnicas amigas do ambiente e que contribuam para a melhoria e recuperação de solos degradados. A APOSOLO vai realizar este ano, em parceria com a Syngenta, três sessões práticas para demonstração comparativa do que acontece no solo com e sem mobilização (técnicas de agricultura de conservação)», Marta Manoel, representante da Associação Portuguesa de Mobilização de Conservação do Solo

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior AJAP preocupada com o futuro da agricultura na Europa
Próximo Capoulas “está em ótimas condições” para ser comissário europeu – Dizem Jovens Agricultores

Artigos relacionados

Últimas

Açores: Corvo vai ter reservatório para reforçar armazenamento de água à agricultura

O secretário Regional da Agricultura e Florestas dos Açores anunciou hoje, 16 de Janeiro, na Assembleia Legislativa, na Horta, que, através da IROA, […]

Nacional

Clima: Atuais emissões vão levar a três graus mais de temperatura

Thelma Krug é vice-presidente do Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), organização científica criada no âmbito da ONU e que entre hoje e 01 de fevereiro junta na Universidade do Algarve cerca de 260 especialistas em alterações climáticas, […]

Dossiers

Novo método funciona como vacina para controle de viroses em tomateiro

Pesquisadores da Embrapa Hortaliças (DF) estão avaliando novos métodos para controle de viroses em tomateiro a partir […]