Symington Family Estates torna-se B Corporation

Symington Family Estates torna-se B Corporation

[Fonte: Gazeta Rural]

A família Symington acaba de anunciar que a sua empresa passou um rigoroso processo de certificação para se tornar uma B Corporation. A B Corp é uma comunidade global de empresas que são auditadas para ter os mais elevados padrões de ética empresarial e desempenho social e ambiental. Tornar-se uma B Corp obriga as empresas a mudar o seu estatuto legal de forma a incluírem fatores sociais e ambientais em pé de igualdade com os objetivos financeiros. A Symington é a primeira empresa de vinhos em Portugal a tomar este passo importante e junta-se a um grupo internacional de 2.933 empresas B Corp que estão a liderar nesta área chave, tais como a Danone, Patagonia, Kickstarter, Natura, Ben & Jerry’s, Triodos Bank e a Innocent Drinks.

Rob Symington, membro da 5.ª geração da família, e responsável pela área da sustentabilidade na empresa familiar, afirmou: “Este é um passo muito importante no nosso compromisso para maximizar o impacto positivo que temos como empresa. Estamos orgulhosos de que as nossas práticas existentes e o compromisso para com a comunidade e o meio ambiente nos tenham permitido alcançar o estatuto de B Corp. Tornarmo-nos numa B Corp, dá-nos um entusiasmo ainda maior para prosseguirmos o caminho para a transformação sistemática da nossa atividade, e para responder aos grandes desafios dos tempos em que vivemos.”

Missão 2025: Metas para tornar o “mundo mais verde”

A Symington adotou, recentemente, um ambicioso conjunto de metas de redução de emissões de carbono, no seguimento da medição da sua pegada (âmbitos 1-3) depois de uma rigorosa auditoria liderada pela Ernst & Young. Rupert Symington, CEO da Symington Family Estates, comentou: “O nosso objetivo é o de diminuir em 35% as nossas emissões de carbono, entre 2015 e 2025. Já conseguimos reduzi-las em 23%, e estamos a trabalhar para conseguir reduções adicionais. Estamos comprometidos com a meta nacional de Portugal de neutralidade carbónica até 2050”.

A Symington também revelou um conjunto de metas sob a faixa Missão 2025, que abrange as energias renováveis, painéis solares, veículos elétricos, eficiência hídrica e elétrica, reflorestação, embalagens de impacto reduzido e iniciativas na comunidade. Quatro grupos de trabalho internos estão a trabalhar para alcançar estas metas: 1) Viticultura e Biodiversidade; 2) Água, Energia e Edifícios; 3) Embalagens e Efluentes; e 4) Equipa e Comunidade.

Durante outubro arrancará, na Quinta do Ataíde – que engloba a maior área de vinha em Modo de Produção Biológico no norte de Portugal –, a construção de uma nova adega com princípios ambientais no cerne de todos os aspetos da sua conceção. A inaugurar em 2021, será a primeira adega em Portugal a obter certificação LEED (Leadership in Energy & Environmental Design).

Comente este artigo

O artigo Symington Family Estates torna-se B Corporation foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Anterior Fogo já consumiu mais de 7300 hectares do Pinhal Interior. E pode chegar aos 10 mil
Próximo Mercosul: Eurodeputados debatem acordo com comissários do Comércio e Agricultura

Artigos relacionados

Nacional

Suplemento Agrovida de Julho da Vida Económica – Editorial Teresa Silveira

A carne é a principal fonte de proteína para alimentação humana nos países desenvolvidos, mas a sua produção impõe custos elevados, obriga ao investimento em grandes quantidades de alimento e os dejetos dos animais geram fortes emissões de gases com efeito estufa. Por outro lado, diz a FAO, […]

Nacional

Alimentaria & Horexpo 2019: áreas de exposição inovadoras

[Fonte: Revista Frutas Legumes e Flores]

A Alimentaria & Horexpo Lisboa regressa nos dias 24, 25 e 26 de Março à FIL – Feira Internacional de Lisboa e traz novidades.
Com um posicionamento diferenciador e palco de referência para o HORECA e para as empresas do sector agroalimentar, […]

Últimas

Verbas para novos projetos de regadio já estão disponíveis

[Fonte: Vida Rural]

Já estão disponíveis mais 280 milhões de euros para financiar, a fundo perdido, novos projetos de regadio. De acordo com o Ministério da Agricultura, está aberta a segunda fase do Programa Nacional de Regadios (PNR), […]