Symington anuncia parceria ambiental com a Rewilding Portugal

Symington anuncia parceria ambiental com a Rewilding Portugal

A Symington Family Estates realizou uma parceria com a Rewilding Portugal, com o objetivo de contribuir para um futuro mais sustentável na região do Douro, mantendo a sua missão de apoiar causas ambientais.

A colaboração com a organização sem fins lucrativos faz parte de uma série de iniciativas de conservação da vida selvagem em 120 mil hectares, entre a cadeia montanhosa da Malcata e o vale do Douro.

A iniciativa será financiada através do Fundo de Impacto da Symington, anunciado a janeiro de 2020, e cujo compromisso inicial é de um milhão de euros. Este fundo destina-se a apoiar causas sociais e ambientais e organizações, a longo prazo, nas regiões do Douro, do Porto e do Alto Alentejo, com soluções positivas nesse âmbito.

Assim, Symington deverá apoiar a atividade da Rewilding Portugal para o desenvolvimento de negócios e empreendimentos sociais cuja atividade sustenta a conservação do meio ambiente e implementar práticas de ‘renaturalização’ nas suas propriedades. Por sua vez, a Rewilding Portugal deve gerar oportunidades de voluntariado para todos os colaboradores da Symington.

“A Rewilding Portugal é um parceiro natural para nós, já que estão comprometidos em proteger e regenerar a natureza em territórios abandonados no norte de Portugal e o seu modelo permite impulsionar a economia local, desenvolvendo iniciativas e empresas que potenciam a conservação do ecossistema”, refere Johnny Symington, chairman da Symington Family Estate. “Estamos muito preocupados com os desafios ambientais que o mundo enfrenta atualmente e estamos comprometidos em fazer tudo o que nos é possível para contribuir para um futuro positivo nas comunidades em que trabalhamos”, conclui o responsável.

A Rewilding Portugal tem uma estratégia de conservação para melhorar a biodiversidade e apoiar a regeneração da natureza no vale do Grande Côa, através da recuperação do habitat de espécies fundamentais como lobos, o lince ibérico, veados e aves de rapina.

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior PSD avança com comissão de inquérito sobre gestão de fundos em Pedrógão
Próximo Câmara de Montalegre aplica 500 mil euros na Agricultura

Artigos relacionados

Últimas

Trabalho nas vinhas do Douro “não pode parar”

A VTM esteve em Pegarinhos a acompanhar o trabalho dos agricultores na vinha, que não podem ficar em casa, mas adotam as medidas […]

Vídeos

Agricultura em tempo de crise – Debate online

“Agricultura em tempo de crise. O que vai acontecer e como podemos antecipar e preparar o futuro que aí vem.” […]

Nacional

AlgaEnergy abre filiais nos EUA e na Índia

Agro-Negócio

A empresa de base biotecnológica AlgaEnergy abriu recentemente filiais nos Estados Unidos da América (EUA) e na Índia. […]