Sustentabilidade ambiental é tema de congresso de horticultura em Coimbra

Sustentabilidade ambiental é tema de congresso de horticultura em Coimbra

O atual panorama da agricultura intensiva e da sustentabilidade do setor são os principais temas do Congresso Ibérico de Ciências Hortícolas, que vai receber mais de 200 participantes em Coimbra, grande parte dos quais oriundos de diversas regiões espanholas. Tem lugar no Convento de São Francisco e decorre de amanhã até sábado.

A “intensificação” e a “sustentabilidade” e as estratégias de conciliar as duas questões na produção hortícola são o ponto crucial do setor.

José Alberto Pereira, da comissão científica do congresso diz que “tem de ser possível aliar a intensificação com a sustentabilidade”, considerando que a intensificação é necessária face a uma população “em crescendo e com necessidades específicas”, tendo atenção a questões como a fertilidade e a rega, os solos ou outras questões ambientais.

O evento conta com mais de 180 comunicações e são esperados mais de 200 participantes, numa iniciativa organizada pela Associação Portuguesa de Horticultura e a sua congénere espanhola.

“Uma dúvida, não tenho: os agricultores são a chave. Tem de se valorizar mais a atividade agrária e, muitas das vezes, pensar os agricultores como intervenientes de ecossistemas agrários que têm de ser ajudados”, realçou José Alberto Pereira.

De acordo com o docente, tem-se assistido a “uma viragem enorme na agricultura”.

Se antes era um setor “dominado por gente com idade e falta de especialização”, hoje há “muita gente nova a instalar-se no terreno, às vezes até fora do setor, que é muito mais aberta à inovação e à aplicação de conhecimentos”, notou.

Haverá ainda painéis dedicados à segurança alimentar, consumidores e rega e fertilização. O congresso termina no sábado com visitas técnicas a produtores da região.

Comente este artigo
Anterior EPO poised to stop granting patents on plants, animals from ‘biological processes’
Próximo 4.º Concurso de Vinhos Verdes InvestBraga - Tapada do Marquês, Adega dos Leões e Infusa Rosé vencem diploma de ouro

Artigos relacionados

Últimas

Angola estima custos de 407,8 ME para recuperar de cinco anos de seca

Luanda, 04 jul (Lusa) – Angola calculou em 464,5 milhões de dólares (407,8 milhões de euros) as suas necessidades de recuperação sobre os efeitos e impactos causados pela prolongada seca, que afetou, nos últimos cinco anos mais de um milhão de pessoas.

Os dados constam de um relatório sobre a Seca em Angola entre 2012-2016 e de Avaliação das Necessidades Pós Desastre (PDNA, […]

Últimas

2018 revelou uma aposta vencedora no enoturismo

[Fonte: Gazeta Rural]

Além de manter a liderança do número de visitantes de caves de vinho do Porto, a Cálem registou no ano passado um crescimento próximo dos 40% na faturação.O turismo representa já mais de 20% das receitas totais do grupo Sogevinus.  […]

Últimas

A importância da informação no desenvolvimento agropecuário sustentável – Miguel Damas de Matos

Comente este artigo
#wpdevar_comment_6 span,#wpdevar_comment_6 iframe{width:100% !important;} […]