(Desas)sossego em 2017 – Editorial de Teresa Silveira + Suplemento Agrovida

(Desas)sossego em 2017 – Editorial de Teresa Silveira + Suplemento Agrovida

“Vivo sempre no presente. O futuro, não o conheço. O passado, já não o tenho”, escreveu Fernando Pessoa no ‘Livro do Desassossego’. (Desas)sossego deve ser o espírito do presente. Ou, se quiserem, sossego com inquietação. É que o otimismo moderado motiva-nos, mas o otimismo exacerbado é dúbio e preguiçoso. Faz-nos descansar no conforto momentâneo das coisas conquistadas e baixar a guarda na luta pelo futuro. E Portugal não pode baixar a guarda, dizia um ex-comissário português na UE, ainda que a propósito de questões de segurança.

Mas a segurança condiciona a economia, cujo crescimento assenta nas cambiantes da conjuntura interna e externa e de cuja prosperidade depende a qualidade de vida dos cidadãos e os bons resultados das empresas.

Por cá, a ‘Geringonça’ aguenta-se, o Presidente elogia o Governo, desdobra-se pelo país e conquista pelos afetos, a dotação do PDR 2020 para este ano subiu 155 milhões de euros, o consumo está em alta – há seis anos que não se gastava tanto em compras de Natal -, o SMN cresceu para 557 euros, a TSU caiu 1,25 pontos percentuais para as empresas, a dívida pública baixou 1.212 milhões para os 243.208 milhões, o Banco de Portugal reviu em alta a projeção de crescimento de 2016 para 1,2% – embora revisse em baixa a de 2017 para 1,4% -, são prorrogados para 2017 vários benefícios fiscais inclusive sobre a capitalização das empresas, o limite mínimo do pagamento especial por conta caiu para 850 euros e é reduzido progressivamente até 2019 mas, atenção!, o rol de boas notícias deve ficar por aqui.

Manda a prudência que sejamos exigentes, que trabalhemos para lá da “gestão do imediato” e que, como disse Marcelo Rebelo de Sousa, em 2017 fixemos “uma estratégia de crescimento económico sustentado”.

→Descarregue aqui o suplemento Agrovida de Janeiro 2017←

 

Comente este artigo
Anterior A agricultura portuguesa teve em 2016 um dos piores resultados económicos da última década e meia - Francisco Avillez
Próximo Workshop FEFAC/IACA sobre Sustentabilidade - Dia 20 de janeiro de 2017 - Instituto Superior de Agronomia

Artigos relacionados

Últimas

Góis: Bombeiros florestais da Extremadura espanhola reforçam combate a incêndio

Góis, Coimbra, 22 jun (Lusa) – Um contingente de bombeiros florestais da Extremadura espanhola juntou-se hoje às forças que combatem o incêndio de Góis, considerado “dominado” desde as 07h45, elevando para 190 o número de operacionais espanhóis no terreno.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_4 span,#wpdevar_comment_4 iframe{width:100% !important;} […]

Dossiers

Agricultores afetados pelos incêndios de 15 Outubro começam hoje a receber 41,5 Milhões de Euros

O Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural procede hoje ao pagamento de 37,68 milhões de euros a 14.542 agricultores, que apresentaram declarações de prejuízos entre 1.054 e 5.000 euros, na sequência dos incêndios de 15 de outubro.

Sugeridas

ANPROMIS elege novos Órgãos Sociais para o triénio 2019 a 2021

[Fonte: ANPROMIS]

Na
sequência da Assembleia Geral da ANPROMIS, que teve lugar no passado
dia 25 de Março, foram eleitos os novos órgãos socais para o triénio
2019 a 2021.

Em
relação à composição da Direcção, tomamos a liberdade de destacar a
inclusão de dois jovens agricultores, […]