Ruanda autoriza produção de canábis exclusivamente para exportação

Ruanda autoriza produção de canábis exclusivamente para exportação

O governo do Ruanda autorizou hoje a produção no seu solo de cannabis para uso terapêutico, exclusivamente para exportação, e esclareceu que a autorização não anula a proibição do seu uso no país.

“O Ruanda vai começar a receber pedidos de licenças de investidores interessados nesta cultura terapêutica de alto valor acrescentado”, afirmou o governo numa declaração.

“Este quadro específico de investimento não afeta o estatuto legal do consumo de cannabis no país, que continua proibido”, acrescenta a declaração.

De acordo com o Conselho de Desenvolvimento Ruandês (RDB), várias empresas apresentaram propostas para iniciar a produção no país, que permitirá ao Ruanda aceder ao muito rentável mercado da canábis terapêutica.

“Temos investidores interessados com quem iremos trabalhar nos próximos dias, agora que as diretrizes estão em vigor”, disse a presidente da RDB, Clare Akamanzi, em declarações ao canal público de televisão do Ruanda.

“Os Estados Unidos, o Canadá e a União Europeia (UE) são mercados importantes, que compram estes produtos”, continuou.

As autoridades ruandesas não avançaram que regiões deste país onde a agricultura é o principal setor empregador serão destinadas à produção, nem uma data provável para o seu início.

As empresas licenciadas, acrescentou Akamanzi, terão de “apresentar um programa de segurança muito sólido, que terá de ser validado pelos serviços de segurança” do país.

“Haverá medidas fortes de segurança, câmaras de videovigilância, torres de vigília, iluminação pública e guardas de segurança para garantir que as culturas não saiam das quintas e acabem no mercado local”, disse.

O uso de cannabis é proibido no Ruanda e os infratores estão sujeitos a dois anos de prisão. Já os vendedores enfrentam até 20 anos de prisão e, em alguns casos, mesmo a prisão perpétua.

Comente este artigo
Anterior PSD Açores quer avaliação dos preços do produtor ao consumidor final
Próximo Live-stream: Climate Talk: Water footprint – water usage in wines and vines

Artigos relacionados

Notícias florestas

Figueira da Foz promove registo itinerante de terrenos nas freguesias

O município da Figueira da Foz vai promover, ao longo de agosto, a identificação e registo de terrenos nas freguesias do concelho litoral do distrito de […]

Sugeridas

Terror passou por Arcos de Valdevez e matou 68 cabras ao pastor Dario

Dario Gonçalves de Lima tem 53 anos, “uma vida inteira” dedicada à criação e pastoreio e pela primeira vez “viu o terror” passar pelos montes de Gondoriz, em Arcos de Valdevez, e […]

Últimas

Greve pode afetar estabelecimentos de abate

A DGAV alertou os estabelecimentos de abate para a greve, convocada a partir de 14 de Outubro e com duração até ao final do ano, ao aumento do horário diário de trabalho e ao trabalho […]