Rio Tejo corre tóxico até Vila Velha de Ródão

Rio Tejo corre tóxico até Vila Velha de Ródão

Cianobactérias e plantas invasoras, que chegam de Espanha, põem fauna em perigo. Ambientalistas preocupados com caudal. BE quer explicações do ministro.

Quem vier de Mação pode atravessar o Tejo quase a pé, devido ao fraco caudal que se acentua há meses. Agora, para além de correr como um ribeiro, o rio mostra-se, no concelho ao lado, na barragem de Fratel, Vila Velha de Ródão, com a cor verde devido a algas tóxicas (cianobactérias) e plantas invasoras que vêm de Espanha, concretamente da albufeira de Cedillo e da barragem de Alcântara. O risco é que a contaminação se estenda e ponha em causa a fauna.

O movimento proTejo denunciou que, já no passado dia 14, a Agência Portuguesa do Ambiente tinha identificado as algas em Fratel, avisando para contaminação maior. Na semana passada, o grupo parlamentar do BE questionou o ministro do Ambiente e da Ação Climática sobre se o Governo vai aplicar ações concretas ao seu congénere espanhol para impedir que a má gestão dos caudais do rio Tejo e o excesso de nutrientes na água possam continuar a provocar “blooms” de cianobactérias no Tejo e afluentes. […]

Continue a ler este artigo no Jornal de Notícias.

Comente este artigo
Anterior Associações alertam para quebras até 90% na produção de castanha em Valpaços
Próximo Oferta de emprego - Promotor Técnico Agrónomo - Engenheiro Agrónomo - S. Miguel

Artigos relacionados

Últimas

Certificação Florestal Regional PEFC chega ao Alentejo e Lezíria do Tejo

A 1.ª Assembleia Geral da Associação para a Certificação Florestal do Alentejo e Lezíria do Tejo (ACFALT), que oficializou a constituição desta associação, […]

Últimas

Sessão de divulgação de Medida PDR 2020 – 19 de dezembro – Beja

No seguimento da Abertura de Candidatura da MEDIDA 10 LEADER – 10.2.1.1 Pequenos Investimentos na Exploração Agrícola, o […]