PSD questiona Governo sobre meios de socorro e salvamento em terra

PSD questiona Governo sobre meios de socorro e salvamento em terra

Os deputados do PSD questionaram nesta sexta-feira o Ministério da Administração Interna sobre a inexistência de helicópteros que garantam o socorro, busca e salvamento a vítimas de acidentes e ou catástrofes em terra.

Segundo os sociais-democratas, a busca e salvamento no mar está assegurada pela Força Aérea. Já em terra, em essencial no período nocturno e em território continental, “o país encontra-se numa posição de grande fragilidade pela inexistência de um serviço SAR” (sigla em inglês para serviço de salvamento e socorro).

“Mesmo no período diurno, esse serviço não é suficientemente eficaz, porque o único meio disponível é o mesmo destinado à busca e salvamento no mar, dependendo assim da sua disponibilidade, e cujas características (dimensão e operabilidade) não se adequam a grande parte do território que é montanhoso ou tem vales encaixados ou escarpas de difícil acesso”, acrescenta o texto do PSD entregue ao Governo através da Assembleia da República.

Os deputados sociais-democratas recordam que, “no passado, esse serviço de busca e salvamento foi assegurado pelos helicópteros Kamov, pertença do Estado português”, cujas equipas incluíram “um conjunto de pilotos e técnicos formados em busca e salvamento para essas missões em voo nocturno e por instrumentos”.

Os parlamentares citam ainda “dados revelados por alguns especialistas que estiveram envolvidos nessa operação, ao longo de vários anos”, de acordo com os quais os helicópteros do Estado português, no passado, “mantiveram uma taxa de prontidão perto dos 100%, com o país a ter pela primeira vez meios aéreos de combate a incêndios florestais 12 meses por ano, assim como um serviço de excelência em termos de busca e salvamento”. “O estado de degradação a que o Estado, e em particular o Governo, deixou chegar estes meios aéreos públicos em que tanto investimento foi feito pelos contribuintes portugueses tem inviabilizado um conjunto de missões que então eram vitais para a segurança dos portugueses. Recordamos que há praticamente quatro anos não há nenhum meio aéreo pesado propriedade do Estado (Kamov) que esteja operacional”, acrescentam.

Finalmente, o PSD pergunta ao Governo se confirma que Portugal não tem, neste momento, um sistema de busca e salvamento em território continental e que meios existem e com que disponibilidade, em período nocturno e diurno. Os sociais-democratas querem também que o executivo esclareça “que medidas pretende desenvolver para ultrapassar estas fragilidades” e “qual o ponto de situação sobre o processo de recuperação dos helicópteros Kamov que pertencem ao Estado português”.

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior Newsletter GPP | + Flash nº 40 - fevereiro 2020
Próximo SISAB: Salão de alimentação e bebidas cancela vinda de participantes da China e norte da Itália

Artigos relacionados

Nacional

Marca branca: a aparente contradição

Fonte: [Publico]
Os distribuidores modificaram a sua estratégia e voltaram a dar à marca de distribuição a relevância que já teve. […]

Nacional

Nersant convida empresas de sistemas de rega e de construção de jardins para missão empresarial a França

A Nersant – Associação Empresarial da Região de Santarém, encontra-se a organizar uma Missão Empresarial a França (Paris), a realizar de 30 de Março a 02 de Abril de 2020. […]

Nacional

UE/Presidência: Ministra da Agricultura recusa reabertura de mandato negocial da nova PAC

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, recusou hoje a possibilidade da reabertura do mandato negocial da nova Política Agrícola Comum (PAC), sublinhando que os compromissos já assumidos pelo Conselho são a base de […]