PS defende uma floresta não autóctone e quer pagar o sequestro de carbono

PS defende uma floresta não autóctone e quer pagar o sequestro de carbono

Quem plantar floresta vai poder ser pago pelo sequestro do carbono, mas o Partido Socialista quer espécies de árvores diferentes das tradicionais, mais adaptáveis às alterações do clima

A fragilidade da exposição de Portugal às alterações climáticas impõe, segundo o Partido Socialista, a introdução de espécies florestais não autóctones, mais adaptadas à nova realidade dos fenómenos extremos.

No seu programa eleitoral, o PS quer, por isso, aumentar a área florestal bem como a sua reconversão para espécies mais adaptadas ao território, tendo em vista a resiliência aos riscos, nomeadamente aos incêndios.

Os responsáveis do Partido Socialista consideram ainda determinante a criação de incentivos económicos para projetos de sumidouro florestal e outras atividades no domínio silvícola e agro-florestal que promovam o sequestro de carbono.

Mas não é tudo, pois o PS quer ainda priorizar e majorar o apoio à instalação, à gestão e à promoção da regeneração natural de áreas florestais com espécies de crescimento lento, de modo a assegurar uma acumulação duradoura de carbono atmosférico.

A introdução de espécies florestais não autóctones, mais adaptadas às novas condições climáticas, nas regiões do país mais expostas à desertificação física, visa assegurar a acumulação de carbono atmosférico, o revestimento do solo e o reequilíbrio dos círculos hidrológicos nessas regiões.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Expresso.

Anterior Governo cria linha de crédito de 1 milhão de euros para agricultores de Mogadouro afetados pelo granizo
Próximo Incêndios. População de Vergão em Proença-a-Nova está assustada e preparada para o pior

Artigos relacionados

Nacional

O ABC da certificação internacional da gestão florestal – Que vantagens?

[Fonte: 2BForest]
A 2BForest vai lançar um conjunto de Notas informativas e entrevistas que têm por objetivo informar proprietários florestais, […]

Últimas

Projeto luso-espanhol cria manual de boas práticas na gestão da água

O projeto Aquamundam, que visa a proteção do meio ambiente através da melhoria da gestão do ciclo da água em espaços transfronteiriços de Portugal e Espanha, […]

Nacional

Governo aprovou integração de 345 trabalhadores precários dos fundos europeus

O Governo aprovou a integração de 345 trabalhadores precários dos fundos europeus, estando marcada para sexta-feira a formalização do contrato de trabalho de 28 destes trabalhadores, […]