PS/Açores discute com setores da hotelaria e restauração fim do uso de plásticos

PS/Açores discute com setores da hotelaria e restauração fim do uso de plásticos

O PS/Açores está a levar a cabo as jornadas parlamentares dedicadas à sustentabilidade ambiental, reunindo-se com a Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) para propor o fim do uso de plásticos descartáveis nestes serviços.

“A sustentabilidade ambiental é muito larga, é muito mais do que o próprio nome pode referir. Tem a ver com a possibilidade de nós, através de uma marca distinta, associada à sustentabilidade ambiental, podermos potenciar quer o emprego, quer a economia no seu global”, afirmou o líder do grupo parlamentar socialista no parlamento açoriano, Francisco César.

O socialista considera que a sustentabilidade ambiental “é muito mais do que propriamente uma questão ecológica ou uma questão ambiental” e que, no caso dos Açores, “está diretamente ligada à criação de emprego – mais e melhor emprego e menos precário –, está ligado a desenvolvimentos de setores de ponta e setores tradicionais, como sejam a área do turismo, da agricultura, das pescas, da energia ou até da mobilidade”.

Nesse sentido, o grupo parlamentar socialista irá ouvir vários agentes dos diversos setores, tendo começado estas jornadas com uma reunião com a delegação açoriana da AHRESP, em que propuseram que “o governo legisle, até ao final deste ano, no sentido de proibir a utilização de plásticos descartáveis na hotelaria e na restauração”.

“Mas nós não proibimos apenas por uma questão ambiental, achamos é que isto deve ser feito de forma a que, quer a hotelaria, quer a restauração, possa, primeiro, suportar, ou seja, que isto não seja um encargo acrescido, e que, por outro lado, possam potenciar exatamente esta nova forma de trabalhar sem os plásticos descartáveis”, garantiu o deputado.

À Lusa, o presidente da delegação dos Açores da AHRESP, Rui Anjos, garantiu que, no que toca à sustentabilidade ambiental, a associação “apoia toda e qualquer medida, muito mais no mercado açoriano, que tem como imagem a sustentabilidade ambiental, e uma região verde tem que progredir neste sentido”.

Ainda assim, o dirigente notou preocupação, “no momento atual, com a falta de alternativa a bom preço para combater a ausência do plástico”.

“As alternativas tendem a ser três a quatro vezes mais caras que o plástico e essa é a nossa grande preocupação”, afirmou.

Por isso, “o que a AHRESP pediu foi nunca menos que seis meses para formar e sensibilizar os empresários e, ao mesmo tempo, que o mercado da oferta se adeque a essa mesma resolução”.

As jornadas parlamentares do PS arrancaram hoje e, até quarta-feira, os deputados socialistas reúnem-se com várias entidades, entre as quais a MUSAMI (Operações Municipais do Ambiente) e a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores (ERSARA), e visitam centros ambientais como a Quinta do Bom Despacho, o Centro de Monitorização e Investigação das Furnas e a Central Geotérmica do Pico Vermelho.

O artigo foi publicado originalmente em Açoriano Oriental.

Comente este artigo
Anterior Vitacress tem nova directora de recursos humanos
Próximo The Navigator Company rejeita existência de dívidas da Portucel Moçambique

Artigos relacionados

Últimas

Políticos que criticam execução do PT 2020 “não conseguiram realizar pagamentos às empresas”, diz Nelson de Souza

O ministro do Planeamento reiterou esta sexta-feira que Portugal está no “pelotão da frente” na execução do programa PT 2020 e vincou que os políticos que criticam estes dados não conseguiram, […]

Últimas

Estudantes da UTAD discutem Inovação e o Futuro da Floresta

A Associação de Estudantes de Engenharia Florestal (AEEF) vai realizar as VI Jornadas Florestais. O evento decorre no Auditório do Ciências Florestais da Escola de Ciências e Tecnologia (Pólo II), […]

Nacional

Fogos quase deixaram Mação sem floresta. Há um naturalista que a quer proteger e mudar

Percorrer o concelho de Mação, em Santarém, na companhia de Rui Santos significa suspender a conversa com frequência. Não que seja uma pessoa rude, […]