Produtos biológicos e saudáveis ganham mais protagonismo

Produtos biológicos e saudáveis ganham mais protagonismo

A crescente procura de produtos biológicos e saudáveis motivou o Continente a criar um espaço dedicado a esses produtos nas lojas, denominado de Área Bio e Saudável, que dispõe de mais de 200 marcas e oferece mais de 2.000 produtos.

O novo espaço já está presente em muitas lojas da insígnia, de norte a sul do país, o que significa que os produtos biológicos e saudáveis ganham mais protagonismo e conquistam metros quadrados. A aposta é bem evidente na loja Continente do Centro Comercial Colombo e no Continente de Matosinhos, onde esta nova zona se destaca pela dimensão e por uma decoração rústica, que faz lembrar os ambientes de campo.

O Continente já disponibiliza produtos biológicos e saudáveis há vários anos, mas a constituição da Área Bio e Saudável levou ao alargamento do número de marcas e referências presentes nas lojas, indo ao encontro da crescente procura dos portugueses por este tipo de produtos.

Duas das marcas que agora estão disponíveis nas lojas Continente são a Urtekram e a Rude Health, que, em Portugal, são comercializadas em exclusivo pelos espaços da Sonae MC – Continente e Go Natural.

A Urtekram é uma marca dinamarquesa, fundada há mais de 30 anos por dois empreendedores, que produz alimentos orgânicos e artigos para consumidores com alergias. É a marca biológica número um dos países nórdicos, com uma gama alargada de mais de 180 artigos – leguminosas, molhos e pastas, dos snacks às ervas aromáticas. Por sua vez, a Rude Health é uma marca britânica, fundada por um casal empreendedor, que oferece alimentos e bebidas vegetais biológicas, especialista em pequenos-almoços e momentos de pausa. Uma gama sem açucares adicionados, sem ingredientes artificiais e sem OGM’s.

Declarações:

De acordo com Mónica Valente, da Sonae MC,

a criação da Área Bio e Saudável nas lojas Continente é o reflexo da aposta que estamos a fazer na democratização da alimentação saudável. Queremos facilitar o acesso a este tipo de produtos, porque sabemos que os portugueses estão cada vez mais conscientes do impacto que alimentação pode ter na sua saúde e, por isso, tomam decisões mais informadas e têm mais cuidado com aquilo que consomem. Esperamos que este investimento possa contribuir para uma sociedade mais saudável e para um ambiente mais equilibrado.”

Comente este artigo
Anterior Inovcluster promove produtos agroalimentares portugueses na Dinamarca junto dos principais retalhistas do mercado
Próximo La empresa Certiberico Charro recupera, cinco meses después, la acreditación ENAC

Artigos relacionados

Nacional

​Governo adia por um ano solução para terras sem dono

[Fonte: Rádio Renascença]

O Governo reconhece que não consegue garantir um acordo parlamentar estável sobre o que fazer aos terrenos florestais sem dono e vai legislar por decreto-lei, ou seja por diploma aprovado pelo executivo. Mas esse decreto só será feito daqui a um ano. […]

Nacional

Ministro Adjunto elege reflorestação como prioridade nacional nos próximos anos

[Fonte: Público]

O ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, disse hoje, no concelho de Penela, distrito de Coimbra, que a reflorestação do país deve ser uma das maiores prioridades nacionais nos próximos anos.

Na aldeia de Ferraria de São João, que está […]

Últimas

Cluster do Mar Português, dinamizado pela Fórum Oceano, reconhecido como Cluster de Competitividade

[Fonte: Agricultura e Mar]
O “Cluster do Mar Português”, dinamizado pela Fórum Oceano – Associação da Economia do Mar, é um dos Clusters reconhecidos como Cluster de Competitividade pelo ministros da Economia, Manuel Caldeira Cabral, do Mar, Ana Paula Vitorino, do Planeamento e das Infra-estruturas, […]