Produtores querem leite com preço justo na Europa e mais jovens no setor

Produtores querem leite com preço justo na Europa e mais jovens no setor

26 de Novembro 2018

A APROLEP-Associação dos Produtores de Leite de Portugal, em colaboração com a AJADP – Associação dos Jovens Agricultores do Distrito do Porto, organizou a 23 de Novembro 2018, na Cooperativa Agrícola de Vila do Conde, o 1.º Colóquio Nacional do Leite, onde participam cerca de 300 produtores, técnicos e especialistas.

Na sessão de abertura o Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural defendeu que o setor leiteiro deve adotar um «novo posicionamento estratégico para a internacionalização» como forma de sair do ciclo vicioso de preços baixos à produção: «temos de dar o nosso contributo, com fundos mutualistas onde todos contribuam de forma equitativa para a internacionalização do setor. O próximo QCA será uma grande oportunidade», afirmou Miguel Freitas.

A mesa redonda “Instalação de jovens na produção de leite” iniciou-se com um facto preocupante, a falta de rejuvenescimento do setor: desde 2014 instalaram-se na produção de leite muito poucos jovens, uma percentagem muito baixa no total de investimento de jovens agricultores em Portugal, no âmbito do PDR2020-Programa de Desenvolvimento Rural. «Os jovens não têm estabilidade financeira de longo prazo para investir, a submissão dos projetos de investimento (ao PDR2020) é complexa e os pagamentos demorados», apontou Marisa Costa, jovem produtora de leite e membro da direção da APROLEP.

A questão da entrada da grande distribuição na produção de leite (fábrica Jerónimo Martins em Portalegre) e a recente compra direta do leite por parte do grupo JM a produtores na bacia leiteira do Minho surgiu no debate. O representante da Agros, José Campos, disse que «todos são bem-vindos desde que acrescentem valor à produção e mais tarde não abandonem os produtores, como já aconteceu com outras experiências». Já Marisa Costa, que considera positiva a chegada de um novo comprador, deixou no entanto um alerta: «os produtores que queiram mudar de comprador devem salvaguardar-se e ler os contratos com muita atenção».

Leite Justo- experiência belga a replicar

“A experiência do leite justo na Europa”, relatada por Erwin Shopges, Presidente da Associação Europeia de Produtores de Leite (EMB) e da cooperativa belga Faircoop prendeu a atenção da plateia. Esta cooperativa criou em 2010 uma marca própria de leite e laticínios – “Fairebel” – que pertence aos 500 produtores de leite seus associados, com o objetivo de obter uma remuneração mais justa ao produtor. Em 8 anos passou de 800 mil para 10 milhões de litros de leite justo vendido na Bélgica, graças a uma forte campanha de marketing junto do consumidor final, envolvendo diretamente os produtores de leite em ações promocionais.

«Não queremos viver de ajudas públicas, queremos viver da produção de leite. É preciso que o preço do leite cubra os custos de produção, incluindo um salário justo para o agricultor. Apelo às associações portuguesas que se juntem a nós para mudarmos a política europeia, implementando mais projetos de leite justo na Europa e um progra de responsabilidade do mercado», afirmou Erwin Shopges.

No terceiro e último tema do colóquio, “Cooperativismo e a redução de custos de produção”, os oradores foram unânimes quanto à urgência de um modelo cooperativo mais eficiente, com cooperativas leiteiras de maior dimensão, que tenham mais poder negocial junto dos fornecedores de fatores de produção e dos compradores do leite. «Em Portugal já só existem 4000 produtores de leite e a tendência é de redução, é preciso cooperativas fortes que defendam o bem comum dos produtores de leite. Se não formos nós, não serão os privados a defender os nossos interesses», disse Pedro Pimenta, presidente da Cooperativa Agrícola de Coimbra. Na sessão foi apresentado por representantes de cooperativas galegas, o modelo adotado na Galiza onde nos últimos anos ocorreram fusões de diversas cooperativas.

A sessão de encerramento foi presidida pelo Diretor Regional de Agricultura e Pescas do Norte, Manuel Cardoso. O colóquio terminou com um brinde ao leite e um lanche com produtos lácteos. A APROLEP E AJADP agradecem o apoio da Cooperativa Agrícola de Vila do Conde, da Caixa de Crédito Agrícola de P. Varzim, Vila do Conde e Esposende e das empresas patrocinadoras: Harker Sumner, Syngenta, Affimilk, Nutrinova, Vaca de Socas, Dupont Pioneer, Socidias, Torre Marco e Consulai.

Coloquio Nac Leite_mesa jovens agricultores

Comente este artigo
Anterior Portugal produz menos vinho, mas consome mais
Próximo Mercadona vai criar 90 postos de trabalho para bloco logístico na Póvoa De Varzim

About author

Artigos relacionados

Comunicados

Agricultores vão ser recebidos terça dia 23 de outubro pela directora regional de agricultura, em Coimbra

ADACO-Associação Distrital dos Agricultores de Coimbra
Como se não bastasse a já difícil situação com os preços baixos e o escoamento da produção, as explorações agrícolas da Região Centro foram gravemente afetadas com a passagem do furacão “Leslie”.
São milhões de euros de prejuízos principalmente em estruturas e culturas de estufas, […]

Comunicados

360 Toneladas de produtos fitofarmacêuticos ilegais apreendidos

Lisboa, 13 Julho 2018 | A EUROPOL comunicou aquela que é considerada a maior apreensão de produtos fitofarmacêuticos ilegais ou contrafeitos de que se tem registo. O Serviço Europeu de Polícia reporta a quantidade de 60 toneladas destes produtos apreendidos na operação que é conhecida pelo nome «SILVER AXE» […]

Comunicados

Reflections on the evolution of the European regulation on Animal Welfare: state-of-the art and potential improvements

[Fonte: Farm Europe]
Today, in our society, the safeguard of the ecosystem as a common good is an issue, which is becoming every day more relevant.
Being an activity with a notable correlation to environmental issues, food safety, health and respect for animal welfare, […]