Mercadona vai criar 90 postos de trabalho para bloco logístico na Póvoa De Varzim

Mercadona vai criar 90 postos de trabalho para bloco logístico na Póvoa De Varzim

– O futuro Bloco Logístico da Mercadona contará com uma área total de 50.000 m2, encontra-se em fase de construção e fica localizado na freguesia de Laúndos, na Póvoa de Varzim.

– O processo de recrutamento terá vários momentos e, nesta primeira fase, a empresa dispõe de 20 vagas para Operador de Armazém (m/f)

– A Mercadona oferece empregos estáveis e de qualidade, garantindo contrato sem termo desde o primeiro dia e progressão salarial.

Porto, 26 de novembro de 2018.- A Mercadona inicia o processo de contratação de 90 colaboradores para o futuro Bloco Logístico da Póvoa de Varzim, localizado na freguesia de Laúndos. Este bloco logístico servirá de apoio ao desenvolvimento da atividade logística da empresa em Portugal e conta com uma área total de 50.000 m2, onde estarão localizados os armazéns de secos, frescos, refrigerados e congelados. As obras de construção já se encontram a decorrer, com o objetivo de garantir a abertura dos primeiros supermercados da Mercadona, já no segundo semestre de 2019.

O arranque deste Bloco Logístico supõe a criação de 90 postos de trabalho, que serão preenchidos em várias fases de recrutamento. Neste momento, a Mercadona procura 20 Operadores de Armazém (m/f). Os candidatos deverão ter a escolaridade mínima obrigatória e disponibilidade para trabalhar em horário semanal de 40 horas.

Contratação de Operadores de Armazém (m/f)

As pessoas contratadas vão receber uma formação inicial em Espanha sendo considerado tempo de serviço efetivo desde o primeiro dia. Durante o período de formação aprenderão o Modelo de Qualidade Total (modelo de gestão aplicado pela Mercadona) e a desempenhar as funções próprias do respetivo posto de trabalho. Os colaboradores terão todos os gastos de alojamento e alimentação a cargo da empresa, assim como as deslocações.

Todos os interessados nas diferentes ofertas de emprego da Mercadona podem apresentar a sua candidatura através do site da empresa: www.mercadona.pt, acedendo à secção “Emprego” e submetendo o seu currículo.

Política de Recursos Humanos reconhecida pela ONU

A política de Recursos Humanos da Mercadona foi reconhecida pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), dependente das Nações Unidas, no seu estudo “O Emprego Atípico no Mundo”. Para a OIT, a aposta da Mercadona no emprego estável e de qualidade, assim como o esforço que realiza na formação e partilha de lucros com os trabalhadores, são fatores que sustentam e justificam o êxito da sua política de Recursos Humanos.

Compromisso sustentado para o crescimento profissional e conciliação

A Mercadona prevê implementar em Portugal o seu modelo de Recursos Humanos. É um modelo que aposta nas pessoas e no seu desenvolvimento profissional, com base em empregos estáveis e de qualidade, que promove a equidade, a conciliação com a vida pessoal e a promoção interna. Estas características têm contribuído para que, desde há vários anos, a empresa seja reconhecida no âmbito laboral, de acordo com vários estudos de referência, como o MERCO Pessoas ou o estudo sobre a Situação de Conciliação em Espanha, elaborado pelo Instituto Internacional de Ciências Políticas, que têm reconhecido a Mercadona como uma das empresas de referência na gestão dos recursos humanos e a primeira do setor da distribuição em Espanha.

A Mercadona em Portugal

A Mercadona abrirá em Portugal 10 lojas no segundo semestre de 2019. Deste modo, desde que anunciou a entrada em Portugal, a premissa da empresa tem sido sempre: “Em Portugal, somos portugueses”. O primeiro grande passo foi a criação da sociedade Irmãdona Supermercados S.A., com domicílio fiscal em Portugal. A empresa tem sede no Porto, onde se situam os escritórios centrais, além dos existentes também em Lisboa.

Também foi iniciada a atividade no Centro de Coinovação, em Matosinhos; um macrolaboratório de ideias de 1.000 m2 que ajuda a equipa da Mercadona a definir, junto dos clientes portugueses, o sortido de produtos em Portugal, totalmente adaptado às necessidades deste mercado. É neste centro que as equipas de trabalho estudam ao detalhe os gostos e hábitos de consumo do “Chefe” português (como a Mercadona denomina os clientes).

Atualmente, a empresa conta com 300 colaboradores portugueses e continua com os processos de seleção de todos os postos inicialmente previstos.

Quadro-resumo dos dados e compromissos para esta primeira fase até 2019

tabela-mercadona

 

Comente este artigo
Anterior Produtores querem leite com preço justo na Europa e mais jovens no setor
Próximo InCeres promove Webinar “Big Data no agro: o que você precisa saber”

About author

Artigos relacionados

Sugeridas

Fórum SMART FARM – 6 de Julho 2018 – Companhia das Lezírias

A SMART FARM, a quinta inteligente da ANIPLA, vai receber, no próximo dia 6 de Julho, a primeira edição do FÓRUM SMART FARM. O encontro vai reunir conhecidos elementos do setor agrícola e da sociedade civil, convidados para o debate, com transmissão em direto a partir do Facebook […]

Comunicados

Previsiones negativas para el turismo rural en el puente de diciembre: descienden las reservas un 38.06%

NOTA DE PRENSA
Clubrural.com, el portal pionero y con más alojamientos de turismo rural en España, analiza los datos de reservas del próximo puente
– A pesar de que se ha producido un aumento de reservas rurales de última hora, los datos caen en picado frente al mismo puente de 2017. […]

Sugeridas

Pão vai ficar mais caro em 2018

[Fonte: SIC Notícias]  As associações da indústria da panificação alegam que a subida dos custos de produção é insustentável e que dezenas de padarias já fecharam portas. Subir o preço do pão é, dizem, uma questão de sobrevivência.
Veja o video aqui.
 

Comente este artigo
#wpdevar_comment_5 span,#wpdevar_comment_5 iframe{width:100% !important;} […]