Presidente da CAP critica falta de interesse dos políticos pela agricultura

Presidente da CAP critica falta de interesse dos políticos pela agricultura

[Fonte: Diário de Notícias]

O presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) criticou hoje a falta de interesse pelo setor por parte dos deputados no parlamento nacional e europeu, exigindo saber quem serão os responsáveis políticos pela área, em ano de europeias.

Eduardo Oliveira e Sousa, falava aos jornalistas no Palácio de Belém, em Lisboa, após ter reunido com o presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a quem transmitiu várias preocupações sobre o setor agrícola.
Segundo o presidente da CAP, na reunião com o chefe de Estado, foram abordados assuntos “fortes na agenda do setor agrícola em Portugal”, como “a questão da floresta, muita injustiça envolta do tratamento dos proprietários florestais, medidas que estão a ser equacionadas no âmbito das alterações climáticas, da água”, entre outras.

O dirigente associativo afirmou que houve ainda uma “questão institucional” discutida durante o encontro com Marcelo que tem a ver com o facto de “num ano de eleições europeias” haver “uma enorme falta de saber quem são os interlocutores ao nível do parlamento em Portugal e na União Europeia que vão fazer a ligação e a defesa do setor agrícola”.

“Quem são os deputados dos diferentes partidos que vão tomar a seu cargo a defesa da agricultura, da floresta, do mundo rural português”, questionou Eduardo Oliveira de Sousa, acrescentando que este foi o assunto debatido “com mais veemência com o senhor presidente”.

“Vai haver eleições europeias e nós precisamos de saber quem são as pessoas que vão assumir o papel de defesa do setor agrícola na Europa num ano em que o ‘Brexit’ pode perturbar a forma como vive a Europa, num ano em que se negoceia o novo quadro comunitário, uma nova política agrícola toda essa arquitetura tem de ter especialistas, pessoas muito focadas na defesa da particularidade do setor agrícola em Portugal”, reforçou Oliveira e Sousa.

Apesar de ter sublinhado que a reunião não foi de críticas ao Governo, o presidente da CAP voltou a acusar o Governo de dar “tratamento profundamente errado” à questão da floresta, com “legislação desadequada e análise deturpada” e também à estratégia sobre a água, nomeadamente medidas para enfrentar as alterações climáticas.

Comente este artigo
Anterior MAFDR: Carne de vaca com origem na polónia retirada do mercado
Próximo Ministério da Agricultura anuncia pagamento de 50 milhões de euros

Artigos relacionados

Opinião

Inovação e tecnologia na produção de alimentos – António Lopes Dias

Este é o tema dos Simpósios Anipla 2017, com o primeiro já realizado, no dia 23 de Março, no Porto, e o próximo realizar no dia 30 de Março (Lisboa, Hotel Sana Metropolitan).
Com este tema fazemos jus à nossa assinatura: “para quem pensa a agricultura”. […]

Últimas

Seia promove ação de reflorestação na Mata do Desterro

[Fonte: Gazeta Rural]

O Município de Seia, através do CISE – Centro de Interpretação da Serra da Estrela e do Serviço Municipal de Proteção Civil, a União das Freguesias de Seia, São Romão e Lapa dos Dinheiros e o Movimento de Cidadãos Por uma Estrela Viva vão promover, […]

Sugeridas

FENAREG reclama investimento na melhoria da qualidade da água

FENAREG felicita novo ciclo de planeamento da água e reclama investimento na melhoria da qualidade da nossa água
A aprovação de um segundo ciclo de planeamento dos recursos hídricos é uma marca importante no calendário da política da água. O ano passado foi marcado pelos novos Planos de Gestão de Região Hidrográfica, […]