Precisamos de falar (IV) – O suicídio entre os agricultores

Ao publicar a história do Professor, do frasco e do café lembrei-me de uma conversa que tive na feira de natal: Perguntou-me então um amigo se aqui em Portugal não existe um problema de suicídio agrícola como na França. De facto, na França suicida-se, em média, um agricultor a cada dia que passa, muitas vezes com justificação económica. Já tinha lido sobre isso e acompanho o assunto através da Marche Citoyenne de Patrick Maurin. Patrick é vereador na cidade de Marmande e já fez várias caminhadas de centenas de Kms para apoiar os agricultores em desespero e as famílias de agricultores que se suicidaram. “Au non de la terre” é um filme de 2019 sobre essa temática. Creio que no Estados Unidos o fenómeno também tem alguma dimensão.
Aqui em Portugal a situação económica dos agricultores, e em particular dos produtores de leite não é melhor que a dos franceses, mas apesar de dois ou três casos que atribuo a depressão não houve uma crise de suicídios nos últimos anos, apesar da crise que tocou a todos e foi muito dura para alguns.Talvez, disse eu ao meu amigo, talvez a missa e o café nos ajudem a resistir ao desespero. A missa, a religião, além do convívio da comunidade dá-nos um conforto e uma perspetiva da vida para além do imediato. “Felizes os que choram,porque serão consolados”. O café, a tasca, o pão quente onde podemos beber um café, uma cerveja ou um chá com amigos e desabafar, está ao virar de cada esquina (muito mais fácil de encontrar do que no meio rural francês).
Em 2012, preocupado com a grave crise de então na produção de leite, pedi à Carla Teixeira, Psicóloga, um artigo sobre a depressão para a revista “Produtores de Leite nº6”. Coloco o texto nos comentários, caso tenham interesse.
Entretanto, ao preparar este texto, não me lembrando do nome de Patrick que referi acima, pesquisei “suicide”; imediatamente o Facebook me convidou a falar com um amigo, ligar para uma linha de apoio ou encontrar formas de me ajudar 😊. Calma, pessoal, está tudo bem comigo! Mas são boas sugestões, se estiverem em baixo ou conhecerem alguém assim, passem mensagem. E fiquem bem! Nunca estamos sozinhos, ok?
#carlosnevesagricultor
#juntosomosmaisfortes

Screenshot_20200105_201050.jpg
78746507_170011381063836_5006520918839656448_o.jpg
Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Carlos Neves Agricultor.

Anterior No Algarve, as alfarrobeiras dão fruto em Dezembro como se fosse Verão
Próximo PDR 2020: Região Saloia tem 65 mil euros para apoio à diversificação de actividades na exploração agrícola

Artigos relacionados

Últimas

Produção de leite nos Açores estabilizou no primeiro trimestre


A produção de leite nos Açores “praticamente estabilizou nos 157 milhões de litros, comparando a produção do primeiro trimestre deste ano com igual período de 2018”, […]

Nacional

PAN quer acabar com apoios públicos à produção de carne e leite

[Fonte: O Jornal Económico]

O partido dirigido por André Silva quer que as empresas passem a apresentar soluções concretas para os desafios ambientais e contribuam para a redução da pegada ecológica. […]

Últimas

Incêndios: “Se o interior ficou sem árvores, então que nas cidades deixem de usar carros”

Carlos Crisóstomo, de 62 anos, 25 como bombeiro voluntário, mostra-se frustrado e abatido enquanto olha para a floresta queimada que se avista da sua casa, […]