Precisamos de falar (IV) – O suicídio entre os agricultores

Ao publicar a história do Professor, do frasco e do café lembrei-me de uma conversa que tive na feira de natal: Perguntou-me então um amigo se aqui em Portugal não existe um problema de suicídio agrícola como na França. De facto, na França suicida-se, em média, um agricultor a cada dia que passa, muitas vezes com justificação económica. Já tinha lido sobre isso e acompanho o assunto através da Marche Citoyenne de Patrick Maurin. Patrick é vereador na cidade de Marmande e já fez várias caminhadas de centenas de Kms para apoiar os agricultores em desespero e as famílias de agricultores que se suicidaram. “Au non de la terre” é um filme de 2019 sobre essa temática. Creio que no Estados Unidos o fenómeno também tem alguma dimensão.
Aqui em Portugal a situação económica dos agricultores, e em particular dos produtores de leite não é melhor que a dos franceses, mas apesar de dois ou três casos que atribuo a depressão não houve uma crise de suicídios nos últimos anos, apesar da crise que tocou a todos e foi muito dura para alguns.Talvez, disse eu ao meu amigo, talvez a missa e o café nos ajudem a resistir ao desespero. A missa, a religião, além do convívio da comunidade dá-nos um conforto e uma perspetiva da vida para além do imediato. “Felizes os que choram,porque serão consolados”. O café, a tasca, o pão quente onde podemos beber um café, uma cerveja ou um chá com amigos e desabafar, está ao virar de cada esquina (muito mais fácil de encontrar do que no meio rural francês).
Em 2012, preocupado com a grave crise de então na produção de leite, pedi à Carla Teixeira, Psicóloga, um artigo sobre a depressão para a revista “Produtores de Leite nº6”. Coloco o texto nos comentários, caso tenham interesse.
Entretanto, ao preparar este texto, não me lembrando do nome de Patrick que referi acima, pesquisei “suicide”; imediatamente o Facebook me convidou a falar com um amigo, ligar para uma linha de apoio ou encontrar formas de me ajudar ?. Calma, pessoal, está tudo bem comigo! Mas são boas sugestões, se estiverem em baixo ou conhecerem alguém assim, passem mensagem. E fiquem bem! Nunca estamos sozinhos, ok?
#carlosnevesagricultor
#juntosomosmaisfortes

Screenshot_20200105_201050.jpg
78746507_170011381063836_5006520918839656448_o.jpg

O artigo foi publicado originalmente em Carlos Neves Agricultor.

Comente este artigo
Anterior No Algarve, as alfarrobeiras dão fruto em Dezembro como se fosse Verão
Próximo PDR 2020: Região Saloia tem 65 mil euros para apoio à diversificação de actividades na exploração agrícola

Artigos relacionados

Sugeridas

Investigação aposta na valorização de produtos e subprodutos agrícolas

Escolhemos cinco projetos de investigação, que receberam Bolsas de Ignição, no âmbito do Programa INOV C 2020, para ilustrar a aposta que muitos centros nacionais de investigação fazem cada vez mais na área agroalimentar. […]

Últimas

Arderam 37.357 hectares em Portugal, em 2018. Foi o maior registo na União Europeia

Portugal voltou a ser, em 2018, o país da União Europeia (UE) com maior área ardida em incêndios florestais, num total de 37.357 hectares, […]

Últimas

VII Congresso da Indústria Portuguesa Agro-Alimentar em Lisboa a 25 de Junho

Lisboa, cidade branca, graças à luminosidade única que emana, acolhe o VII Congresso da Indústria Portuguesa Agro-Alimentar, a 25 de Junho, […]