Portugueses não comem tanta fruta como deviam

Portugueses não comem tanta fruta como deviam

Chama-se Maria e foi criada no início deste ano pelo Grupo Luís Vicente, empresa nacional de comercialização de frutas, para “seduzir os consumidores” nos mercados nacional e internacional. Agora, no dia em que se celebra a Alimentação, lança um repto aos consumidores portugueses: a mudança de hábitos alimentares é “urgente”.

De acordo com dados do Eurostat, apesar de 80% dos portugueses consumirem fruta todos os dias, a maioria come apenas uma peça de fruta diária, o que está muito aquém das 3 a 5 peças diárias recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Além disso, segundo a Fundação Portuguesa de Cardiologia, as estatísticas mostram que, a nível nacional, quase metade da população apresenta excesso de peso e que perto de um milhão de adultos sofre de obesidade.

Miguel Barbosa, Diretor Geral do Grupo Luís Vicente, defende que “enquanto grupo português de produção e comercialização de fruta, é nossa missão alertar para os benefícios de uma alimentação saudável, na qual a fruta é uma peça fundamental. A Maria, é a nossa nova marca para a fruta portuguesa, com a qual vamos desenvolver ao longo dos próximos meses iniciativas para promover o maior consumo de fruta, começando com este alerta no Dia Mundial da Alimentação.”

A nutricionista Zélia Santos, presidente do Conselho Executivo do Movimento 2020, um projeto dedicado à saúde alimentar dos portugueses, diz também que “os princípios básicos da Dieta Mediterrânica deviam estar enraizados na nossa cultura, mas a mudança de hábitos de vida, orçamentos familiares reduzidos, horários curtos e o stress diário, levam-nos a recorrer a refeições menos saudáveis.” E acrescenta ainda: “Por isso, neste dia, pretendemos relembrar o básico, e promover o aumento do consumo diário de fruta. Para isso, basta colocar todos os dias na mala 1 maçã e/ou 1 pera, assim como não o esquecer nas lancheiras para as escolas”.

A gama Maria é composta por Pera Rocha, Maçã, Ameixa, Pêssego, Nectarina, Dióspiro e Marmelo.

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior 83,5% dos portugueses acreditam ter uma alimentação saudável
Próximo Dia Mundial da Alimentação - 16 de outubro

Artigos relacionados

Últimas

​Incêndios: Costa diz que as causas profundas nunca serão resolvidas pelo combate

As causas profundas dos incêndios “nunca serão resolvidas” a partir dos meios de combate, afirmou esta segunda-feira o primeiro-ministro, António Costa, […]

Últimas

CAP leva conferência internacional à FNA 2019 sobre desafios para a agricultura

A CAP — Confederação dos Agricultores de Portugal organiza, no dia 14 de Junho, na Feira Nacional de Agricultura (FNA 2019), […]

Últimas

Covid-19: Portugal emite menos 52 mil toneladas de CO2 por dia

A “redução inédita e sem precedentes” de gases com efeito de estufa deve-se à quebra nos consumos de gasóleo, gasolina e combustível para a aviação, […]