83,5% dos portugueses acreditam ter uma alimentação saudável

83,5% dos portugueses acreditam ter uma alimentação saudável

No Dia Mundial da Alimentação (16 de outubro), a Marktest revela as principais conclusões de estudo sobre os hábitos alimentares dos portugueses, indicando que 83,5% dos portugueses acreditam ter um regime alimentar saudável.

De acordo com o estudo, é na faixa etária entre os 25 e os 34 anos que há mais pessoas (25%) a assumirem que os seus hábitos alimentares não são tão saudáveis quanto o desejável. Além disso, 19% dos inquiridos indicam ter deixado de consumir algum alimento no último ano: leite (20%), carne (13,3%) e açúcar (12%) são os mais citados entre quem deixou de consumir algum alimento, com as mulheres a liderarem, com a maior taxa de abandono de alguns alimentos.

Com o estudo, ficamos também a saber que o consumo de legumes (incluindo sopa ou salada) está enraizado entre os hábitos alimentares dos portugueses. Um em cada quatro refere consumi-los em todas as refeições (almoço e jantar), mas ainda há 51,9% a referir que inclui legumes ‘apenas’ entre uma a sete refeições por semana.

O estudo foi realizado pela Marktest entre os dias 9 e 14 de outubro de 2019 e contou com uma amostra de 808 pessoas, que foram inquiridas por telefone.

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior Cotações – Suínos – Informação Semanal – 7 a 13 Outubro 2019
Próximo Portugueses não comem tanta fruta como deviam

Artigos relacionados

Últimas

IVDP lança vídeo para brindar ao Douro e ao Porto

Objetivo é demonstrar que o douro não será vencido e homenagear aqueles que se escondem por detrás da sua infinita beleza […]

Nacional

Ovibeja 2019 vai reforçar a comunicação e o conhecimento sobre a agricultura e o mundo rural


“Foi muito positivo o balanço da 36ª Ovibeja” que, cada vez mais, se assume como um fórum de cidadania. […]

Últimas

Confagri repudia “radicalismo” do Reitor da Universidade de Coimbra. “Matar o mundo rural não é a solução”

“Matar o mundo rural não é a solução”. Quem o diz é a direcção da  Confagri – Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas de Portugal, […]