“Portugal Sou Eu”. 16 figuras públicas põem consumidores a comprar nacional

“Portugal Sou Eu”. 16 figuras públicas põem consumidores a comprar nacional

São 16 as figuras públicas que se juntaram ao programa “Portugal Sou Eu” para sensibilizar os consumidores a comprar produtos e serviços portugueses, numa altura em que é necessário relançar a economia nacional. “O que nos une? Ser Português é o que nos une. E este selo é a nossa garantia. Escolha Portugal” é a mensagem que estes embaixadores vão promover nas próximas semanas em vários meios.

A campanha promocional “Portugal Sou Eu” decorre até 15 de julho e visa alavancar a retoma da economia e combater o desemprego, desafiando os consumidores a colaborarem na reconstrução do país, através da compra de produtos com o selo “Portugal Sou Eu”.

Carolina Piteira, Cláudia Vieira, Cristina Ferreira, Cuca Roseta, D.A.M.A., Fátima Lopes, Fernanda Freitas, Henrique Sá Pessoa, Júlio Isidro, Júlio Magalhães, Justa Nobre, Luís Buchinho, Luís Onofre, Nélson Évora, Rosa Mota e Vítor Sobral são as figuras públicas que dão a cara por esta campanha.

Para o Ministério da Economia, “o apoio dos embaixadores do programa revela-se crucial num momento em que é necessário transmitir um sinal de união e esperança no futuro. Sabemos que os portugueses já valorizam a origem dos produtos e serviços, mas, neste momento, mais do que nunca, é importante que privilegiem a compra de produtos portugueses, valorizando e dinamizando a oferta nacional”.

A campanha, desenvolvida pela agência de publicidade Nomore, vai decorrer nos meios televisão, rádio, plataformas digitais e nas Redes Sociais.

“Portugal Sou Eu”

O programa “Portugal Sou Eu” foi lançado pelo governo em dezembro de 2012 para dinamizar a competitividade das empresas portuguesas, promover o equilíbrio da balança comercial, combater o desemprego e contribuir para o crescimento sustentado da economia.

Desde essa altura, o “Portugal Sou Eu” já reuniu cerca de 3400 empresas e 1200 estabelecimentos, e com o selo estão qualificados mais de 10 mil produtos e serviços que, no conjunto, representam um volume de negócios agregado superior a 12 mil milhões de euros.

A maioria dos produtos tem marcas registadas, sendo que 57% são do setor da alimentação e bebidas e 23% correspondem às atividades de artesanato.

O programa, cofinanciado pelo Compete 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, é gerido por um órgão de gestão que integra a Associação Empresarial de Portugal, Associação Industrial Portuguesa-Câmara de Comércio e Indústria, Confederação dos Agricultores de Portugal e IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação.

O artigo foi publicado originalmente em Dinheiro Vivo.

Comente este artigo
Anterior Covid-19: Setor da batata com dificuldades e poucas perspetivas de exportação
Próximo Porbatata quer colocar a batata no lugar certo: na mesa dos portugueses

Artigos relacionados

Nacional

Rural Inspiration Awards: vencedores anunciados hoje

A Rede Europeia de Desenvolvimento Rural (ENRD) realiza hoje, pelas 16 horas, a cerimónia do Rural Inspiration Awards 2020. Esta é […]

Nacional

Ministério da Agricultura: 2018 foi “francamente positivo para o complexo agroflorestal português”

Apesar de marcado pela tempestade Leslie e pelo incêndio de Monchique, 2018 “foi francamente positivo para o complexo agroflorestal português”. […]

Dossiers

Cotações – Azeite e Azeitona – Informação Semanal – 16 a 22 Dezembro 2019

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas
Azeitona para azeite
Estima-se para a campanha em curso um volume de produção superior, […]