Plano de Recuperação e Resiliência tem 270 ME para paisagem da floresta – Governo

Plano de Recuperação e Resiliência tem 270 ME para paisagem da floresta – Governo

O Programa de Recuperação e Resiliência para a política da paisagem da floresta em Portugal disponibiliza 270 milhões de euros que vão ser aplicados nos seus quatro eixos, anunciou hoje o ministro do Ambiente.

“São 270 milhões de euros que vêm do programa de Recuperação e Resiliência para a política da paisagem da floresta em Portugal, que se divide em quatro eixos: O planeamento, a concretização das áreas integradas de gestão de paisagem, os condomínios de aldeia e o emparcelar para ordenar”, afirmou o ministro João Pedro Matos Fernandes.

O governante falava hoje em Castelo Branco, onde se deslocou para presidir à assinatura dos primeiros 11 contratos dos projetos “Condomínio de Aldeias – Programa de apoio às aldeias localizadas em territórios de floresta” que decorreu nas instalações da Secretaria de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território.

Cada um dos 11 municípios beneficiários (Monchique, Góis, Ansião, Oleiros, Proença-a-Nova, Penela, Silves, Lousã, Alvaiázere, Vila Nova de Poiares e Sertã) vai receber até 50 mil euros, num montante total de financiamento de 503 mil euros, valor financiado pelo Fundo Ambiental.

“Os condomínios são à volta de aldeias onde hoje existe uma grande presença de massa florestal. Mais de 70% dessa aldeia tem de ser rodeada por floresta, fazer a limpeza que é obrigatória dos 100 metros à volta desses mesmos aglomerados, não para ficarmos com uma terra de ninguém, sem uso, mas para aí podermos ter usos económicos que são compatíveis com a defesa da própria aldeia contra incêndios”, explicou o governante.

Este projeto-piloto que se insere na Estratégia Nacional para as Florestas do Ministério do Ambiente e da Ação Climática, tem como objetivo assegurar a gestão de combustíveis à volta de aglomerados populacionais, em áreas de grande densidade florestal e de elevado número e dispersão de pequenos lugares, com maiores níveis de exposição às consequências de incêndios rurais.

Incluem, entre outras intervenções, a reconversão florestal à volta dos aglomerados populacionais para outros usos, desde que naturais ou seminaturais, incluindo pomares, zonas de pastagem extensiva, prados, parques ou jardins bio diversos, clareiras.

O ministro sublinha que no âmbito do plano de recuperação económico, o Governo pretende construir 800 condomínios de aldeia.

“Estes foram os primeiros 11 ainda financiados pelo Fundo Ambiental. Mas, nos cinco anos que aí vêm serão 800 e esse será, certamente, um projeto importante para podermos ter aldeias mais seguras e valorizar o nosso capital natural, criando riqueza para os habitantes das próprias aldeias”, concluiu.

500 mil euros de financiamento para «Condomínio de Aldeias» em 11 municípios

Comente este artigo
Anterior Eurodeputados retiram apoios à criação de touros bravos para fins tauromáquicos
Próximo Duas novas bolsas de Doutoramento para jovens investigadoras do Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo

Artigos relacionados

Dossiers

Cotações – Produtos Hortícolas – 7 a 13 de junho 2021

Abóbora – Na região Norte, na área de mercado Entre Douro e Minho, as cotações desvalorizaram devido ao aumento da oferta. Procura média. Boa qualidade do produto. […]

Últimas

Serviços dominam emprego. Quase 7 em cada 10 trabalham no setor terciário

O setor dos serviços continua em expansão em Portugal e já emprega quase 7 em cada 10 (68,3%) trabalhadores. No início do milénio, […]

Dossiers

Cotações – Aves e Ovos – Informação Semanal – 26 Outubro a 1 Novembro 2020

Na semana em análise as cotações médias nacionais do frango, vivo (de 1,8 kg) e abatido (65% – de 1100 a 1300 g), e do peru, vivo (de 14 a 15 kg) e abatido (80% – de 5,7 a 9,8 kg), mantiveram-se […]