PJ detém suspeito de atear incêndio em “vasta mancha florestal” em Vila Pouca de Aguiar

[Fonte: Correio da Manhã]

A Polícia Judiciária anunciou hoje que deteve um homem suspeito de ter ateado um incêndio em zona de floresta no concelho de Vila Pouca de Aguiar (Vila Real), em setembro de 2018, que colocou em perigo “vasta mancha florestal”.

Em comunicado de imprensa, a Polícia Judiciária revela que deteve um homem de “44 anos de idade” e “jornaleiro” por ser suspeito da prática do crime de incêndio florestal registado no dia 23 de setembro de 2018, cerca da 21:00, em Bornes de Aguiar, concelho de Vila Pouca de Aguiar.

“O foco de incêndio colocou em perigo uma vasta mancha florestal, constituída por povoamento de pinheiro bravo e carvalho, bem como várias habitações, de valor consideravelmente elevado, que apenas não foram consumidas devido à rápida intervenção dos bombeiros”, lê-se no mesmo comunicado.

Comente este artigo

O artigo PJ detém suspeito de atear incêndio em "vasta mancha florestal" em Vila Pouca de Aguiar foi publicado originalmente em Correio da Manhã.

Anterior El FEGA actualiza las fichas de información del contenido de las capas SIGPAC 2019
Próximo João Ponte anuncia novo concurso do VITIS este ano no valor de quatro milhões de euros

Artigos relacionados

Últimas

Azeite: futuro do setor discute-se esta sexta-feira

[Fonte: Vida Rural]

A Fenazeites – Federação Nacional das Cooperativas Agrícolas de Olivicultores realiza esta sexta-feira (15 de fevereiro), no Centro Cultural de Macedo de Cavaleiros, o ‘Encontro de Cooperativas Olivícolas’, uma iniciativa para debater o futuro do setor.
O debate contará […]

Nacional

Governo dos Açores vai apoiar agricultores com prejuízos provocados pela forte intempérie que atingiu a ilha Terceira

[Fonte: Gazeta Rural]

A Secretário
Regional da Agricultura e Florestas garantiu que o Governo dos Açores vai
apoiar os agricultores da Terceira com culturas afetadas na sequência da forte
intempérie que ocorreu domingo nesta ilha.
“Logo no dia
a seguir à […]

Últimas

Impacto da greve dos motoristas na agricultura “pode constituir um desastre”

[Fonte: SAPO 24]

Em declarações à Lusa, o presidente da CAP, Eduardo Oliveira e Sousa, afirmou que uma greve em pleno mês de agosto, altura da colheita de vários produtos, como por exemplo o tomate, a pera-rocha e a uva para o vinho, […]