Governo reforça medidas de prevenção da peste suína africana

Governo reforça medidas de prevenção da peste suína africana

O Governo aprovou, esta quarta-feira (12 de junho), através de um despacho publicado em Diário da República, um plano de ação para a prevenção da peste suína africana (PSA). O objetivo é reforçar as medidas preventivas e implementar novas ações que permitam reduzir as populações de javalis.

Entre as medidas previstas estão a realização de um censo nacional sobre o javali e a implementação de um plano de correção da densidade populacional javalis e de espécimes caçados, em colaboração com as organizações do sector da caça (OSC).

O plano prevê ainda o reforço da vigilância nos matadouros, a fiscalização a produtos de caça comercializados com a restauração, o aumento das ações de fiscalização de limpeza e desinfeção de veículos e um plano de vigilância sanitária da caça maior. Além disso, estão previstas medidas para a comunicação e de sensibilização sobre a doença, nomeadamente através de materiais de divulgação, promoção de ações de sensibilização e de reforço de conhecimento sobre a doença pelos grupos-alvo e reuniões com as organizações do setor suinícola, da caça e outros; o reforço da biossegurança, estando previsto o desenvolvimento de um sistema de registo online sobre a aplicação de medidas de biossegurança e a limpeza e desinfeção de veículos; e medidas de reforço para a deteção precoce da PSA, incluindo a monitorização de indicadores da população suína e a notificação de mortalidade de javalis.

Luis Capoulas Santos, ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural explica, no despacho hoje publicado, que a peste suína africana “continua a expandir-se a nível mundial com ocorrência de novos focos” na Europa. “Atualmente, esta doença afeta nove Estados Membros da União Europeia, em concreto, Bélgica, Bulgária, Estónia, Letónia, Lituânia, Itália, Hungria, Polónia e Roménia”. Além disso, de acordo com Capoulas Santos, na Ásia, a situação da PSA em suínos domésticos é “preocupante”, em especial em países como China, Mongólia, Vietname e Camboja.

Portugal está atualmente classificado como país livre de Peste Suína Africana, contudo, durante cerca de 30 de anos a doença esteve ativa no país, tendo sido erradicada em 1996.

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior Pequenos agricultores afetados pelo ciclone Idai com apoio de 646 mil euros da Áustria
Próximo PJ detém suspeito de atear incêndio em "vasta mancha florestal" em Vila Pouca de Aguiar

Artigos relacionados

Últimas

Açores “fortemente empenhado em garantir a sustentabilidade da vitivinicultura”

O secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje, 8 de Julho, que o Governo dos Açores está fortemente empenhado em garantir o desenvolvimento sustentável da vitivinicultura na ilha do Pico, […]

Nacional

Limpar terrenos. Prazo termina hoje, com autarquias a pedirem mudanças na lei

O prazo para a realização das operações de limpeza de terrenos, que terminava a 15 de março, foi prorrogado até 30 de abril, […]

Últimas

CDU/Açores pede ao Governo Regional melhor gestão da água para lidar com a seca

A CDU/Açores alertou hoje para a seca em São Jorge e no Pico e acusou o Governo Regional dos Açores de não tomar “medidas de fundo” para uma “criteriosa e adequada gestão da água”. […]