PJ detém suspeito de ter ateado fogo florestal em Ourique

PJ detém suspeito de ter ateado fogo florestal em Ourique

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem por suspeitas de ter ateado um incêndio florestal, esta semana, que destruiu mato e pasto no concelho de Ourique, no distrito de Beja, foi esta sexta-feira anunciado.

O homem, de 33 anos, trabalhador da construção civil e com antecedentes criminais por um crime contra a liberdade sexual, foi detido na quinta-feira, na sequência de uma investigação tutelada pelo Ministério Público de Ourique, adiantou à agência Lusa fonte da PJ.

Segundo a fonte, o homem, que foi detido pela Diretoria do Sul da PJ, vai ser presente ao Tribunal de Ourique para primeiro interrogatório e eventual aplicação de medidas de coação.

De acordo com a PJ, num comunicado enviado hoje à Lusa, na terça-feira, cerca das 16:25, o homem, com um isqueiro, terá ateado, na berma de uma estrada, na freguesia de Garvão e Santa Luzia, concelho de Ourique, um foco de incêndio, que foi “prontamente combatido por duas corporações de bombeiros que impediram a propagação e progressão das chamas”.

“A célere intervenção dos bombeiros limitou a área ardida, essencialmente de mato rasteiro e pasto”, mas chegou a estar “em perigo” uma “vasta zona com montado e eucaliptal”, refere a PJ.

O artigo foi publicado originalmente em Correio da Manhã.

Comente este artigo
Anterior Pinhal de Leiria: mais de 1000 hectares já foram rearborizados
Próximo Pedrógão Grande: Ministério Público acusa 28 arguidos no processo da reconstrução das casas

Artigos relacionados

Nacional

Eleições: CAP defende que agricultura está “pouco presente” na agenda política

O presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) defendeu esta quinta-feira, em Lisboa, que a agricultura está “pouco presente” na agenda política, […]

Sugeridas

Biomassa florestal como energia: ganha o produtor florestal e agrícola

O INESC TEC está envolvido em dois projetos ligados à floresta – GOTECFOR e BIOTECFOR. Ambos visam valorizar a biomassa florestal […]

Nacional

“Onde há poucas pessoas, há pouco investimento público”, critica presidente da Câmara Municipal de Foz Côa

[Fonte: O Jornal Económico]

As gravuras rupestres, a construção de uma barragem que nunca foi para a frente e uma cidade no interior de Portugal que está […]