“Para se fazerem grandes coisas temos de começar pelas mais simples”

“Para se fazerem grandes coisas temos de começar pelas mais simples”

Ana Abrunhosa, presidente da CCDRC na Sessão Pública de Abertura da Escola de Pastores.

“Houve quem não acreditasse no projeto, mas a grande adesão à Escola de Pastores reflete uma mudança de paradigma daquilo que é a visão desta atividade. Para se fazerem grandes coisas temos de começar pelas mais simples, e neste caso pelos que são mais importantes na fileira do queijo, os pastores. A nossa ideia é valorizar a fileira do queijo para que todos aqueles que nela participam, desde os produtores aos vendedores, possam retirar maior valor do seu trabalho”.

O artigo foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Comente este artigo
Anterior Programa Apícola Nacional 2020-2022
Próximo POSTE POLITICO – QUEREMOS UM MINISTÉRIO DA AGRICULTURA EM LISBOA!

Artigos relacionados

Últimas

Nuno Russo: Tecnologia deve fazer a diferença na projeção da agricultura biológica

O Secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, esteve hoje presente na 4ª edição do i-danha […]

Últimas

Um reitor para o futuro: sobre o fim da carne na Universidade de Coimbra – Nuno Alvim

A UC não proibiu os seus estudantes de comer carne de vaca, o que podem perfeitamente ainda fazer nas suas casas ou em restaurantes, […]

Nacional

Penacova cria centro de soluções inovadoras para dinamizar turismo de natureza

O município de Penacova quer dinamizar o turismo de natureza na região e apoiar o “desenvolvimento de soluções inovadoras” para o setor, […]