PAN quer imposto europeu para agropecuária intensiva e acabar com apoios do BEI ao regadio

PAN quer imposto europeu para agropecuária intensiva e acabar com apoios do BEI ao regadio

[Fonte: Agricultura e Mar] PAN quer um imposto europeu para gases com efeito de estufa na agropecuária intensiva, acabar com o financiamento do BEI a projectos de sistemas de regadios e grandes barragens e acabar com o transporte de longa distância de animais vivos.

Estas são algumas das propostas do PAN – Pessoas-Animais-Natureza presentes no seu programa eleitoral às Eleições Europeias de 26 de Maio.

224 medidas

O programa conta com 224 medidas em áreas como a da ciência e tecnologias, igualdade e direitos LGBTI, juventude, economia, comércio e finanças, clima, energia e mobilidade, ambiente, mar e biodiversidade, bem-estar e protecção animal.

O PAN tem como objectivo eleger Francisco Guerreiro e garantir que “a protecção e preservação do ambiente sejam uma prioridade e que haja, finalmente, um eurodeputado português ambientalista em Bruxelas”.

Fim aos apoios ao regadio

Segundo se pode ler no programa eleitoral, o PAN pretende, em Bruxelas, apresentar uma estratégia europeia para o combate à desertificação e à degradação dos solos, assim como “criar um imposto europeu para gases com efeito de estufa, que inclui: a indústria aeronáutica e náutica, direccionado à agropecuária intensiva, assim como apostar em políticas para a descarbonização do sector agrícola, com especial foco na indústria da agropecuária intensiva e na agricultura super-intensiva”.

Poroutro lado, Francisco Guerreiro, a ser eleito, vai defender no Parlamento Europeu o fim da”política de financiamento do Banco Europeu de Investimentos a projectos ambientalmente catastróficos como sistemas de regadios, grandes barragens, unidades de prospecção e extracção petrolíferas, entre outros.

Bem-estar animal

No que diz respeito a medidas de protecção e bem-estar animal o PAN quer terminar com o transporte de longa distância de animais vivos, em particular para fora da Europa e criar e implementar uma “nova Estratégia Europeia sobre o bem-estar dos animais”.

O PAN defende ainda um reforço das dotações para a “aplicação da Rede Natura 2000, que actualmente é menor que 1% do Orçamento Comunitário, e a criação de um fundo para a sua expansão”.

Por outro lado, a lista encabeçada por Francisco Guerreio defende a criação de “um sistema europeu de base de dados e/ou uniformizador de bases de dados de chips identificativos de animais de companhia nos Estados-membros.

Pode ler todas as propostas do PAN aqui.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo
Anterior Sociedade Civil: Seca
Próximo Alter do Chão promove cimeira internacional inédita sobre Economia do Cavalo

Artigos relacionados

Sugeridas

COVID-19: Setor Leiteiro Cooperativo mobilizado para assegurar fornecimento de leite aos Portugueses

A FENALAC, Federação Nacional das Cooperativas de Produtores de Leite, enquanto representante do Sector Cooperativo Lácteo, assegura que toda a […]

Nacional

​Uma campanha pelos ares: com a época de incêndios à porta, Rangel sobrevoou área ardida em 2017

Paulo Rangel passou o dia em visita às áreas afectadas pelos incêndios de 2017. Apertadas como são as agendas de campanha, […]

Nacional

Quarentena nos EUA deixa milhões de litros de cerveja fora de prazo

Em março, mesmo antes das quarentenas, cerca de 38 milhões de litros de cerveja mantidos pelos retalhistas já tinham passado do prazo de validade, […]